O ex-lateral direito Alberto, hoje assessor da presidência do Atlético, será um dos comandantes do time na terça-feira contra o América-RN | Hedeson Alves / Gazeta do Povo
O ex-lateral direito Alberto, hoje assessor da presidência do Atlético, será um dos comandantes do time na terça-feira contra o América-RN| Foto: Hedeson Alves / Gazeta do Povo

O Atlético anunciou neste domingo (5) que terá um trio de comandantes na partida da próxima terça-feira (7), contra o América-RN, em Goianinha-RN, pela 16.ª rodada da Série B. O time será dirigido pelo auxiliar-técnico Ricardo Drubscky - fora de campo, pois ainda cumpre punição imposta pelo STJD -, juntamente com o preparador físico Márcio Henriques e pelo assessor da presidência, o ex-jogador Alberto Valentin.

O Furacão está sem técnico desde a noite de sábado (4), quando Jorginho foi demitido, após a derrota por 1 a o para o São Caetano, em Paranaguá.

A principal surpresa do "colegiado" é a inclusão de Alberto. O ex-lateral, cuja função é ser a ligação entre o presidente Mário Celso Petraglia e a comissão técnica, fez estágios em clubes de futebol desde que se aposentou, em 2010, visando se aperfeiçoar para se tornar treinador.

No início deste ano, Alberto trabalhou como auxiliar-técnico do Lemense-SP, que era dirigido pelo ex-zagueiro Rogério Corrêa, com quem atuou no Atlético.

Por enquanto o clube não se manifestou sobre a contratação de um substituto para Jorginho. Os nomes de Toninho Cerezo e Falcão têm sido especulados, mas uma definição só deve sair a partir de segunda-feira.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Falcão negou que o técnico tenha uma reunião com a cúpula do Rubro-Negro na segunda.

Currículo

Aos 37 anos, o mineiro Alberto tem história na Baixada. Em sua primeira passagem, entre 1995 e 1996, conseguiu o acesso à elite do futebol brasileiro. Depois de empréstimos a Flamengo e São Paulo, retornou a Curitiba em 1998 para, no ano seguinte, fazer parte do time que garantiu a primeira participação do clube em uma Libertadores.

Negociado, o lateral-direito atuou no futebol italiano (Udinese e Siena) entre 2000 e 2008. Voltou ao Atlético em 2009. No ano seguinte, encerrou a carreira no Botafogo de Ribeirão Preto-SP.

Neste ano, Alberto passou por um estágio de 25 dias na Itália, em clubes como Udinese, Juventus e Roma. Ao todo, o aspirante a treinador acumula 14 passagens por clubes de Brasil e Itália em busca de conhecimento para se tornar técnico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]