Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ponte Preta empatou com o Galo no final | Rodrigo Clemente/ Estado de Minas
Ponte Preta empatou com o Galo no final| Foto: Rodrigo Clemente/ Estado de Minas

O Atlético-MG empatou nesta quarta-feira (29) em 2 a 2 com a Ponte Preta, em Belo Horizonte, mas mesmo assim se manteve na liderança do Brasileiro. A manutenção da ponta se deu graças ao empate do Fluminense com o Corinthians. Assim, o Galo, que tem 44 pontos - e um jogo por fazer com o Flamengo -, segue um ponto na frente do Tricolor carioca.

Apesar de jogar em casa, o time mineiro mostrou um futebol muito irregular e completamente diferente daquele que o levou a liderança do primeiro turno da competição com uma partida de antecedência.

Mérito para a Ponte, que não se intimidou com o fato de enfrentar o líder do Brasileirão na casa do adversário e, com dois gols de Cicinho, conquistou um ponto importante fora de casa e chegou a 24 pontos, enquanto o time mineiro ficou com 44. No próximo domingo, o Atlético viaja para São Paulo para enfrentar o Corinthians no Pacaembu, a partir das 16h. No mesmo dia, a Ponte recebe o Atlético-GO, às 18h30 no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

O jogo

Apesar da campanha irregular, a Ponte Preta tentou se impor no início do jogo e criou as primeiras chances reais de gol no Independência. Logo aos 5 minutos, Rildo aproveitou um deslize da zaga mineira e só não abriu o placar com um chute cruzado porque Victor conseguiu fazer uma bela defesa. Cinco minutos depois, o goleiro salvou o Atlético de novo ao interceptar cabeceada de Giancarlo.

Mas o avanço da Ponte parou aí. Até então recuado, o Atlético passou a ditar o ritmo do jogo e, na primeira jogada que fez, aos 14 minutos, Ronaldinho deixou Danilinho livre na intermediária. O meia arriscou de longe, sem muita força, mas a bola desviou na zaga, tirou de Edson Bastos da jogada e foi parar no fundo da rede à direita do goleiro.

A partir daí, os anfitriões deram a impressão de que não teriam a menor dificuldade para dominar o jogo. Ronaldinho atazanou a defesa adversária e o time criou várias outras oportunidades com o próprio meia, além de Escudero e , mas as bolas não entravam. Enquanto isso, a Ponte, toda recuada, tentava se segurar como podia e fez apenas mais uma finalização, que Victor mandou para escanteio.

Até os 42 minutos, quando os visitantes aproveitaram uma bobeada do Atlético. Com o adversário quase todo avançado, Uendel subiu em velocidade e passou para Marcinho. O meia deu um toque rápido para Cicinho, que entrou sozinho na área e empatou. O Atlético tentou dar o troco um minuto depois com Danilinho, mas Edson Bastos fez ótima defesa e pôs para fora.

Disposto a buscar a vitória para se manter na liderança, Cuca aproveitou o intervalo para trocar o volante Serginho pelo atacante Guilherme. E a mudança surtiu efeito. Logo aos 4 minutos, Marcos Rocha lançou na área, Jô e o goleiro tentaram chegar, mas a bola sobrou para Guilherme, que emendou de primeira e pôs os donos da casa na frente de novo.

E, ainda no início da segunda etapa, o técnico atendeu aos pedidos da torcida e deixou o time ainda mais avançado com a saída de Escudero e a entrada de Neto Berola, que fez sua segunda atuação no Brasileiro, após mais de 100 dias sem jogar. Mas ele pouco ajudou e o rendimento da equipe caiu muito a partir da metade da etapa final.

Precisando de pontos para se afastar da zona de rebaixamento, a Ponte Preta aproveitou para crescer em cima dos anfitriões. O técnico Gilson Kleina também deixou o time mais agressivo com a entrada do atacante André Luís no lugar do zagueiro Tiago Alves e, aos 37 minutos, a pressão surtiu efeito. Cicinho roubou a bola de Guilherme e arriscou de longe. Assim como no primeiro gol do Atlético, a bola desviou na zaga e entrou. Os donos da casa ainda tentaram retomar a pressão, mas não conseguiram ampliar o placar.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]