i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Atletismo

CBAt afasta técnicos do escândalo de doping por 4 anos

  • PorAgência Estado
  • 12/03/2010 15:45

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) anunciou na tarde desta sexta-feira o resultado do julgamento dos envolvidos no escândalo de doping que abalou a equipe do Brasil antes da disputa do Mundial de Atletismo de Berlim, no ano passado. Os dois treinadores envolvidos foram suspensos por quatro anos. Enquanto isso, os cinco atletas flagrados no exame tiveram pena reduzida para um ano, o que contraria as regras dos organismos internacionais.

O escândalo estourou em agosto do ano passado, pouco antes do Mundial de Berlim, quando foi divulgado o resultado positivo do exame surpresa a que os atletas Bruno Lins Tenório de Barros, Jorge Célio da Rocha Sena, Josiane da Silva Tito, Luciana França e Lucimara Silvestre da Silva foram submetidos no dia 15 de junho de 2009, em Presidente Prudente (SP), onde eles treinavam.

Os cincos confessaram o uso de doping, assim como seus dois treinadores, Jayme Netto Júnior e Inaldo Sena. E todos foram tirados da delegação brasileira que competiria em Berlim, após serem suspensos provisoriamente. Enquanto isso, outros dois atletas que treinavam na mesma equipe, Rodrigo Bargas e Evelyn dos Santos, foram afastados das competições porque também teriam ingerido a substância proibida, apesar de nunca terem sido flagrados no exame.

No julgamento encerrado nesta sexta-feira, em Manaus, Jayme Netto Júnior e Inaldo Sena foram suspensos por quatro anos, enquanto Bruno Lins Tenório de Barros, Jorge Célio da Rocha Sena Josiane da Silva Tito, Luciana França e Lucimara Silvestre da Silva receberam pena de apenas um ano. Já Rodrigo Bargas e Evelyn dos Santos foram liberados para voltar a competir, pois não foram flagrados em nenhum exame antidoping.

A decisão do tribunal da CBAt causou polêmica. A redução da pena dos cinco atletas para um ano, ao invés dos dois anos regulamentares, contraria as regras da Agência Mundial Antidoping (Wada) e da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) - essa decisão, portanto, dificilmente será mantida. Para completar, a promotoria já avisou que entrará com recurso, pois defende que os dois treinadores sejam banidos do esporte e que Rodrigo Bargas e Evelyn dos Santos também sejam punidos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.