Santos, Internacional, Bahia, Atlético-PR e Coritiba são os clubes envolvidos no polêmico contrato com o Esporte Interativo. | /
Santos, Internacional, Bahia, Atlético-PR e Coritiba são os clubes envolvidos no polêmico contrato com o Esporte Interativo.| Foto: /

O Esporte Interativo (EI) e o Palmeiras deram drible de R$ 60 milhões nos clubes parceiros do canal para a transmissão do Brasileirão a partir de 2019.

Leia também >> Prêmio para ignorar a Globo provoca impasse entre clubes e Esporte Interativo

O time do Palestra Itália acertou, em dezembro de 2016, o recebimento R$ 100 milhões como luvas de assinatura de contrato, quantia 150% maior do que as principais equipes que também fecharam o acordo válido até a temporada de 2024. A diferença, descoberta recentemente, enfureceu dirigentes das equipes ‘prejudicadas’.

>> Clubes questionam ‘erro’ milionário do Esporte Interativo no contrato de TV do Brasileirão

Atlético-PR, Coritiba, Santos e Bahia receberam R$ 40 milhões cada, enquanto o Internacional levou R$ 13,6 milhões (por dois anos de vínculo). No contrato, segundo apurou a Gazeta do Povo, há uma cláusula que impede qualquer clube a ganhar mais do R$ 40 milhões como prêmio de assinatura.

Para burlar a norma, EI e Palmeiras costuraram um acordo à parte. O Porco cedeu os direitos de transmissão de seus amistosos internacionais e também a base de dados de seus associados ao canal em troca de R$ 60 milhões.

A reportagem apurou, no entanto, que o Conselho Fiscal palmeirense foi informado pela diretoria, na época comandada pelo presidente Paulo Nobre, que montante recebido era referente à venda dos direitos de transmissão para TV fechada. A primeira parcela foi paga ainda em 2016, enquanto o restante foi dividido e quitado em 2017.

Dirigentes ouvidos pela reportagem reclamam que o contrato feito às escuras com o Palmeiras vai diretamente contra o conceito de igualdade pregado pelo EI para o futebol brasileiro. Além desse problema, o canal da milionária americana Turner também lida com outras duas situações com os clubes: a diferença de quase R$ 150 milhões no valor total do contrato e também o valor de garantia para quem não assinava com a Globo na TV aberta.

Procurado pela reportagem, o Esporte Interativo e o Palmeiras não quiseram se pronunciar.

Leia também

>> ‘Esporte Interativo será sufocado pela Globo no Brasileirão 2019’, diz especialista

>> Veja quais clubes fecharam com a Globo direitos do Brasileirão

>> Globo paga menos a clubes que fecharam contrato com rival do SporTV

>> Simulação mostra como fica o Brasileirão dividido entre Globo e Esporte Interativo

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]