Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Depois de algumas partidas sem marcar gols e somar pou­­cos pontos, o Atlé­­tico retomou a boa campanha superando o Goiás, um time que mesmo seriamente ameaçado pelo rebaixamento mostrou algumas qualidades técnicas no plano individual.

Para começo de conversa, se ainda contasse com Rafael Moura no elenco muito provavelmente o aproveitamento ofensivo do Furacão seria superior a esta altura do campeonato. E o ataque continua pecando nas finalizações, desta feita com destaque a Maikon Leite que andou desperdiçando boas oportunidades no primeiro tempo e voltou a sair de campo lesionado.

A partida foi bem disputada e o rubro-negro sempre esteve em plano superior na parte coletiva, com excelente desempenho da defesa e do meio de campo. Mesmo com um ataque deficiente a equipe abriu 2 a 0 com uma bela finalização de Branquinho de longa distância e o oportunismo de González aproveitando passe de Claiton. A propósito, mesmo longe do condicionamento físico ideal, Claiton apareceu com destaque substituindo Paulo Baier. Este vinha jogando bem, mas foi substituído por opção de Sérgio Soares, que preferiu não abrir mão dos dois volantes. E agiu certo o técnico, afinal, o Goiás revelou bravura e pressionou buscando melhor sorte até o apito final demonstrando que não existe moleza no atual campeonato.

O triunfo foi importante para dar tranquilidade e recolocar o Furacão na rota do seu objetivo.

Série B

Se o Paraná voltou a apresentar futebol eficiente e passou com certa tranquilidade pelo Brasiliense, o Coritiba não foi feliz e acabou derrotado pelo Sport, no Recife.

Além da obtenção dos pontos necessários para sair do sufoco, foi importante para o técnico Roberto Cavalo o descobrimento de novos talentos que brotam na Vila Capanema, com destaque a Kelvin e Henrique. Se a diretoria conseguir mantê-los, certamente o Paraná começará a desenhar uma base com valores jovens para a próxima temporada.

Na Ilha do Retiro, o jogo foi de Marcelinho Paraíba, disparado o melhor jogador em campo, tendo assinalado dois gols de pênalti e criado outras jogadas que pararam na segurança do goleiro Édson Bastos.

Houve a primeira penalidade, já que a bola tocou no antebraço de Fabinho Capixaba, porém, a segunda foi cavada pelo atacante pernambucano, gerando a expulsão de Rafinha.

Mas mesmo diante de tantas dificuldades e com um jogador a menos, o Coxa teve forças para esboçar uma reação com direito a golaço de Leonardo. A execução da jogada de Leonardo, ludibriando os zagueiros adversários e com arremate certeiro, fortaleceram a imagem de que ele é mesmo eficiente na grande área. É do ramo quando se trata de marcar gols.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]