Um desentendimento político corriqueiro, que não mereceu por parte dos fundadores do Colorado Esporte Clube a devida atenção na época da fusão entre Ferroviário-Britânia-Palestra Itália, resultou na perda do estádio Durival Britto e Silva, transformado judicialmente em patrimônio da União.

O fato aconteceu na escolha do presidente do Conselho Deliberativo do novo clube, já que o presidente do Conselho Administrativo havia sido eleito por unanimidade: Dely Macedo, dirigente do Ferroviário, tendo Luiz Carlos Marinoni, ex-presidente do Britânia e Orlando Brasil Soldatti, ex-presidente do Palestra Itália, como vices. Por ser maioria no conselho, caberia ao Ferroviário indicar também o comandante do Deliberativo e o nome de consenso seria o do engenheiro da Rede Ferroviária Federal e ex-presidente do clube, Ney Simas Pimpão. Porém, por razões políticas, o deputado estadual Joaquim Néia de Oliveira acabou eleito e, consequentemente, Pimpão sentiu-se desprestigiado, passando a liderar o movimento da contestação da fusão na Justiça.

Quarenta e três anos se passaram e a dura realidade está representada na saída do futebol tricolor da Vila Capanema.

A negociação com a Prefeitura de Curitiba pode apresentar resultados satisfatórios para os dois lados, desde que seja conduzida com inteligência e sem o vício de origem registrado nas tratativas do clube com a Rede quanto ao domínio e a posse da área.

Rodada

O Paraná terá a oportunidade de afastar qualquer risco de preocupação quanto ao rebaixamento somando pontos dentro da Vila hoje e nada melhor do que uma atuação eficiente para vencer o Vasco.

A dupla Atletiba tem desafios de grande porte nesta rodada: o Coritiba visitará o Corinthians carregando os seus dramas políticos e técnicos frente a um adversário empenhado em conseguir vaga na Libertadores para salvar o ano; o Atlético receberá o Galo mineiro tentando somar em casa os pontos que tem dificuldade de conseguir como visitante.

Cumprindo campanha que na realidade é extensão do ano passado, quando só se salvou da degola na última rodada ao vencer o São Paulo, o Coritiba apresenta diversos problemas de ordem técnica agravados pelo fato de o treinador insistir em fazer o avante Joel atuar pelos lados da área, mesmo sendo ele melhor finalizador do que Zé Love ou qualquer outro atacante do elenco. Não resta mais tempo para experiências no Coxa e vale o esforço para a conquista de pelo menos um pontinho fora.

Com um time jovem e as principais estrelas com a cabeça cheia de propostas milionárias, caberá a Claudinei Oliveira tentar ordenar os pensamentos imprimindo a dose certa de compromisso e dedicação ao time para tentar superar um adversário sabidamente mais forte em todos os aspectos.

Dê sua opinião

O que você achou da coluna de hoje? Deixe seu comentário e participe do debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]