Voltemos no tempo e vamos chegar ao dia 16 de abril de 1995. Um festivo domingo de Páscoa. Coxas e, principalmente, atleticanos nunca vão esquecer esta data. A história não vai deixar. Cinco a um. Inesquecível. Uma derrota de cinco que provocou uma revolução no Atlético. O Rubro-Nnegro jamais foi o mesmo.

Vamos então à noite de sábado, 11 de julho de 2009. Estádio Serra Dourada. Série B do Campeonato Brasileiro. Cinco a zero. Nada vai acontecer? A história recomenda uma revolução, antes que seja tarde. Não há um herói de plantão disposto a defender os fracos e oprimidos torcedores tricolores? Alguém para dar "um murro na mesa", como fez Petraglia no Atlético, em 95. Os alicerces da Vila Capanema estão ruindo.

Com a alma negociada com empresários, locatários das camisas tricolores para expor suas "mercadorias", o Paraná Clube está perdendo a identidade, o caráter e a dignidade. Em 2008, jogadores comemoraram a permanência na Segundona como um prêmio, num conformismo deprimente. Humilhada, restou à torcida vaiar o sofrível desempenho. Único protesto possível naquele triste momento.

O amor incondicional que une o coração ao time não permite aceitar passivamente esta inércia. Torcedor que é torcedor não aceita. Vaia, protesta e sofre. O Paraná precisa encontrar o seu "Petraglia", um revolucionário capaz de mudar o curso da história tricolor...

E hoje à noite?

O Paraná joga na Vila contra o Ipatinga. Os mineiros conquistaram mais pontos fora de casa que o Tricolor como mandante: 6 a 5. A campanha do visitante recomenda atenção. Bem armado pelo técnico Marcelo Oliveira, o Ipatinga tem velhos conhecidos do nosso futebol: o goleiro Marcelo Cruz (Coritiba), Alessandro Lopes e o artilheiro Marcelo Ramos (Atlético) e Fernando Miguel (Paraná). A pressão será grande sobre o time e o ambiente deverá estar tenso, muito tenso na Vila...

Dupla Atletiba

Em casa, o Coritiba busca a recuperação contra o Grêmio. Atlético joga a afirmação em Santo André. Uma no cravo, outra na ferradura. Assim caminha a dupla Atletiba no Brasileirão...

Personagem: Adílson Batista

Adílson está a uma vitória da conquista da América, agora como treinador. Já ergueu a Taça Libertadores como jogador do Grêmio. Adílson está fazendo história, para orgulho de Adrianópolis, este pequeno município do Vale do Ribeira, no sudeste paranaense...

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]