Esse é o panorama do novo futebol paranaense. As duas últimas rodadas anunciam a queda de um dos mais tradicionais times do estado, o Londrina. O Tubarão vive situação dramática e somente um milagre poderá livrá-lo do rebaixamento. O drama aumenta na medida em que o LEC ficará de folga no final de semana, assistindo aos adversários diretos subirem na tabela, para aumentar o desespero.

Mas, qual será a consequência da eventual queda do Londrina? Já não contamos com cidades como Ponta Grossa e Maringá no cenário esportivo paranaense. Além do Londrina, o Paraná, recentemente "pentacampeão" estadual, é outro ameaçado. Já imaginaram o nosso campeonato sem o Londrina e o Paraná em 2010? Há esse risco. Basta olhar para a tabela de classificação e os jogos das equipes.

Do Rio Branco, sétimo colocado com 16 pontos e somente uma partida, até o Londrina, último com apenas 13, todos estão no bolo. Assim como a maioria deste grupo pode até avançar para a segunda fase. Pasmem! É assim mesmo esse surpreendente campeonato, que terá rodada no meio de semana e times mandantes sem estádios com iluminação.

O regulamento prevê todas as partidas com o mesmo horário. Ou todas serão à tarde ou todas à noite. Como já tem torcedor entrando na Justiça para garantir o "supermando", não será surpresa se alguém "sacar" mais essa para complicar o complicado Paranaense 2009.

Enfim, teremos duas rodadas para fortes emoções. Rebaixamento, classificação e muitos temas para o "tapetão". Os clubes-empresas começam a ocupar o espaço dos tradicionais times de futebol. As torcidas estão desaparecendo das arquibancadas e os empresários assumindo a massa falida. Poderemos perder o Londrina, assim como o Grêmio Maringá e o Operário. Não haverá rivalidade e estádios cheios pelo interior. Trocaremos a tradição pelos negócios. É um processo em andamento e irreversível...

Personagem: Francisco Cunha Pereira Filho

Incentivador, colocou os mais importantes veículos de comunicação do estado a serviço do esporte paranaense. Transmitir o campeonato estaudal pela RPC significou um ato ousado de levar aos paranaenses a cultura do nosso futebol. Rompeu os paradigmas da miscigenação colonial do Paraná. Personagem para ser reverenciado na memória de todos...

A frase

"O culpado sou eu", assume Peter Silva, presidente do Londrina, lanterna do Paranaense, afirmando que não estava preparado para conduzir o futebol do clube.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]