Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Técnico atleticano Miguel Ángel Portugal no banco de reservas | Daniel Castellano / Gazeta do Povo
Técnico atleticano Miguel Ángel Portugal no banco de reservas| Foto: Daniel Castellano / Gazeta do Povo

A acústica da Arena da Baixada permite que o som repercuta por toda a estrutura. E o técnico Miguel Ángel Portugal ouviu em alto e bom som as vaias da torcida do Atlético na derrota por 2 a 1 para o Corinthians na noite desta quarta-feira (14), no evento-teste da Arena da Baixada para a Copa do Mundo. Gritos de "Fora Portugal" e vaias embalaram o segundo tempo e marcaram o final da partida.

"Acho que a torcida quer aprender o meu nome", ironizou o treinador após a terceira derrota seguida de virada do time – que vinha de um 3 a 2 para o Cruzeiro e um 2 a 1 para o Internacional pelo Brasileiro.

Após um bom início atleticano, com direito a primeiro gol do novo estádio marcado pelo atacante Marcelo, o Corinthians equilibrou e chegou ao empate. No intervalo o técnico rubro-negro mudou dez jogadores e viu o adversário virar no início da segunda etapa.

As vaias foram se intensificando à medida em que o tempo passava e o futebol apresentado pelos reservas – que não conseguiram manter o volume de jogo do primeiro tempo – desanimou os torcedores. Alguns chegaram a sair antes do apito final.

"No primeiro tempo trabalhamos bem. No segundo fomos mais ou menos, os meninos estavam nervosos, mas estou de consciência tranquila", disse o treinador espanhol. Portugal tem a chance de se redimir no domingo (18), contra a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro. O jogo será às 18h30, no Willie Davids, em Maringá, pois o clube cumpre punição devido à briga de torcidas no jogo da última rodada do Brasileirão do ano passado em Joinville contra o Vasco.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]