Considerada a zebra do Grupo F da Copa do Mundo, a seleção do Irã irá surpreender muita gente. Pelo menos é o que garante o meia iraniano Andranik Teymourian, que se diz confiante sobre as possibilidades da equipe avançar para as oitavas de final pela primeira vez.

O motivo para tanta convicção, segundo o meia de 31 anos, é a rodagem do time que representará o Irã na quarta participação do país em Copa do Mundo. "Estamos mais experientes e acho que nos sairemos bem na fase de grupos", afirma Teymourian, que esteve no Mundial de 2006, último que contou com a presença iraniana. A equipe, inclusive, tem média de idade de 28 anos e seis meses, uma das mais altas do Mundial.

Os iranianos enfrentarão Nigéria, Argentina e Bósnia para tentar se classificar às oitavas de final. Apesar do jogo contra os africanos, nesta segunda-feira (16), em Curitiba, ser a estreia da equipe no Brasil, é a partida contra os argentinos que mais preocupa Teymourian. "Claro que a estreia é importante, mas vejo a Argentina como o adversário mais difícil", analisa.

O meia Ashkan Dejagah, que apesar de ter defendido as equipes de base da Alemanha escolheu defender a seleção principal do Irã, compartilha da confiança do companheiro, mas avalia o primeiro jogo como fundamental para as pretensões iranianas. "A partida inicial é muito importante e espero que comecemos bem. Nós estamos trabalhando muito forte", diz.

O técnico português Carlos Queiroz, comandante da seleção iraniana desde 2011, diz já ter definido os 11 titulares que enfrentarão os africanos em Curitiba. Teymourian certamente estará entre eles, protegendo a linha de defesa e armando as jogadas ao lado de Javad Nekounam, enquanto procuram os velozes Ashkan Dejagah e Masoud Shojaei pelos flancos nos contra-ataques

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]