Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado

Os jornalistas que estão acostumados a cobrir o dia a dia no centro de treinamento do São Paulo, na avenida Marquês de São Vicente, Zona Oeste, se depararam com um cenário diferente ao chegar no local na tarde desta segunda-feira (9).

Cerca de 25 policiais militares e dez homens do Exército estavam posicionados do lado de fora do CT, à espera da delegação dos Estados Unidos, que desembarcou pela manhã no aeroporto de Guarulhos.

Depois de passarem os portões, todos os jornalistas - muitos deles estrangeiros - tiveram suas mochilas revistadas. Até mesmo um dos assessores da seleção norte-americana mostrou seus pertences ao segurança encarregado de checar os equipamentos.

Apesar do procedimento fora do padrão, considerando a rotina do clube, não houve demora ou rigor excessivo, e repórteres, fotógrafos e cinegrafistas puderam se dirigir à sala de imprensa dez minutos após a entrada.

Por volta das 16h10, o barulho de um helicóptero da Polícia Militar indicava que os jogadores dos Estados Unidos chegavam para o primeiro treino no CT, porém, sem a presença de Klinsmann. O treinador, que irá assistir a um amistoso entre Gana e Coreia do Sul, só chega terça-feira (10) ao Brasil.

A imprensa acompanhou uma parte das atividades, mas, na sequência, teve de deixar o local.

Na próxima quarta-feira (11), a seleção americana fará um treino aberto para aproximadamente 700 convidados.

Integrante do Grupo G, os EUA estreiam na Copa do Mundo no próximo dia 16, contra Gana, em Natal. Depois, têm pela frente Portugal (em Manaus, no dia 22), e Alemanha (em Recife, no dia 26).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]