Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Série B

De volta ao ataque, Marcelo Toscano busca no Paraná os gols que faltaram no Paulista

Falta de constância com a camisa do Galo fez o então técnico Giba colocá-lo na lateral. Feliz no Tricolor, jogador espera deslanchar de vez em sua posição de origem

  • Thiago de Araújo
Trazido como lateral, Marcelo Toscano espera agarrar oportunidade como atacante no Paraná |
Trazido como lateral, Marcelo Toscano espera agarrar oportunidade como atacante no Paraná
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Gol. Esta única palavra resume a alegria de uma torcida e gera o ganha pão de um atacante. Depois de marcar o tento da vitória do Paraná Clube sobre o Atlético-GO na última sexta-feira, Marcelo Toscano colhe os louros e não esconde a alegria. Todavia, o maior desafio para o jogador mineiro de 24 anos, fã de Ronaldo Fenômeno e da dupla Bruno e Marrone é manter uma constância no setor ofensivo tricolor. Foi este o principal motivo que levou Toscano a trocar o ataque pela lateral-direita neste ano, vestindo a camisa do Paulista.

“Ele era um segundo atacante, com um excelente cabeceio, muita força e velocidade. Mas faltava a ele ser goleador, que é aquele atleta que não faz apenas gols fáceis. O Toscano não tinha uma sequência, não fazia uma quantidade boa de gols, por isso comecei a levá-lo para a beirada do campo, primeiro fechando como o quarto homem do meio-campo, atuando como ponta, e depois como ala e lateral mesmo. Ele se adaptou e começou a ir muito bem por ali”, relembrou o então técnico do Galo, Giba Maniaes, em entrevista à Gazeta do Povo. Ele foi o responsável pela mudança de posição do jogador.

A falta dos gols fizeram Marcelo Toscano ser emprestado em algumas ocasiões para times do interior paulista, como União São João e Mirassol, além do time israelense do Maccabi Ahi Nazareth, clubes em que ia bem, porém sem vingar no ataque do time de Jundiaí. A diretoria do Paraná ficou interessada no jogador como lateral-direito e conseguiu emprestá-lo até o fim desta Série B do Brasileirão. Entretanto, após o último jogo, o técnico Roberto Cavalo deu mostras que seguirá apostando em Toscano no setor ofensivo.

“No Paulista ele não fez muitos gols, mas é um jogador polivalente e muito bom. Até a nossa saída de bola com ele na ala era treinada, ele ganhava todas quando o adversário marcava sob pressão”, completou Giba. Amigo pessoal de Toscano, o assessor do Paulista, Gabriel Goto, comentou que o jogador quer mesmo é vingar agora como atacante do Paraná, sobretudo pela confiança que vem recebendo de todos e a fase pessoal que vive, com a esposa grávida de dois meses.

“Quando ele ficou na reserva no Paraná ele elogiou muito o lateral que era titular (Murilo) e agora, com a chegada do Cavalo, ele quer jogar na posição que ele conhece, terminar bem a Série B pelo clube. Conversei com ele ainda hoje (segunda-feira) e ele está muito feliz”, afirmou Goto.

Davi trabalha para poder voltar ao time titular

Sem problemas de suspensão, Roberto Cavalo espera aproveitar bem a semana inteira de trabalho para montar o Paraná que vai encarar o Ipatinga, fora de casa, no próximo sábado. A principal dúvida do treinador repousa em poder contar ou não com o meia Davi. O jogador vem sofrendo com problemas musculares e a sua recuperação ainda é incerta. Se ele não jogar, a tendência é pela manutenção de Bruninho na criação.

Nas demais posições, apesar do zagueiro Élton ter cumprido suspensão, a tendência é pela manutenção do mesmo time que venceu o Atlético-GO.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE