Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Capitão da defesa da seleção, Helder Ludwig defende o Foz do Iguaçu Black Sharks | Christian Rizzi/ Gazeta do Povo
Capitão da defesa da seleção, Helder Ludwig defende o Foz do Iguaçu Black Sharks| Foto: Christian Rizzi/ Gazeta do Povo

A seleção brasileira de futebol ame­­ricano faz hoje em Foz do Igua­­­­çu, no Oeste do estado, o seu pri­­meiro jogo em casa. O amistoso contra o Chile, no Estádio do ABC, às 18 horas, será a segunda partida oficial dos brasileiros desde 2007, na estreia em Monte­­vi­­déu contra o Uruguai, que venceu por 20 a 14. A apresentação pre­­tende marcar o início de uma nova fase da modali­­dade no Bra­­sil, com vistas no Sul-Americano de 2013, que também poderá ser disputado na fronteira, e na Copa do Mundo de 2015.

Entre os 50 convocados estão o capitão da defesa Helder Ludwig, que atua no Foz do Iguaçu Black Sharks e outros 11 representantes das cinco equipes do estado – oito do Coritiba Crocodiles, um do Curi­­tiba Brown Spiders, um do Curi­­tiba Hurricanes e um do Pon­­ta Grossa Phantoms.

"Foram seis meses de trabalho. Fizemos uma escolha criteriosa e temos certeza que convocamos os melhores. Afi­­nal, são quatro anos esperando por este jogo", comentou o head coach (técnico) Danilo Muller. Os novos rumos da seleção de fu­­tebol americano começaram a ser traçados no ano passado, logo após mudanças na direção da Afab (Associação de Futebol Ame­­ricano do Brasil).

Além do time adulto, a cidade deve receber tam­­­­bém a equipe mas­­culina sub-19. Com média de público de 2 mil pessoas, ultrapassando a marca de 4 mil espectadores em partidas decisivas, Foz do Iguaçu tem se destacado na orga­­ni­­zação dos jogos pelo paranaense, o que acabou chamando a atenção dos dirigentes.

Sobre a experiência de jogar em casa, Ludwig disse ter recebido com muita honra o convite pa­­­­ra atuar na seleção e que promete o máximo de dedicação pa­­ra que a torcida possa ver um bom jogo. "Es­­tou muito orgulhoso de ter sido chamado para o grupo, ainda mais para jogar em Foz. Não tem preço terminar uma partida e poder abra­­çar a família e os amigos que estão ali te acompanhando", disse Ludwig.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]