Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Dispensas expõem problema na zaga do Atlético

Brasileiro

Dispensas expõem problema na zaga do Atlético

Clube não repôs perdas de 2010 à altura. Entre os nove jogadores barrados na terça-feira, quatro são zagueiros e um goleiro

  • Robson Martins
Manoel, remanescente da temporada passada, sofre com as ausências do goleiro  Neto e do zagueiro Rhodolfo |
Manoel, remanescente da temporada passada, sofre com as ausências do goleiro Neto e do zagueiro Rhodolfo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A lista de jogadores afastados do elenco atleticano divulgada na terça-feira deixou clara a dificuldade de acertar o sistema defensivo em 2011. Depois de ter neste setor o destaque no último Bra­­sileiro, o Furacão não conseguiu repor as transferências do zagueiro Rhodolfo para o São Paulo e do goleiro Neto para a Fiorentina.

A diretoria tentou suprir as au­­sências com os zagueiros Dalton, Gabriel, Flávio e Hugo Alcântara. Porém o erro nessas contratações ficou comprovado com a saída dos quatro agora. No caso dos goleiros, Sílvio e Édson apa­­receram como possíveis solução, mas também foram cortados do grupo – o primeiro em uma le­­va anterior e o outro, que nem che­­gou a jogar, incluído no corte re­­cente.

“O [técnico] Adilson [Batista] gosta de trabalhar com 26 a 28 jogadores. Como o grupo estava muito grande, tínhamos de reduzir”, explicou o diretor de futebol Alfredo Ibiapina. “Alguns jogadores que não foram escolhidos para ficar vão ser negociados, pois não dá para ficar ganhando sem trabalhar”, acrescentou.

No caso do sistema defensivo, Ibiapina foi conciso. “Os quatro zagueiros não corresponderam”, apontou. Entre eles está Hugo Alcântara, que chegou com um contrato de três meses e, na opinião da diretoria, também não precisou entrar em campo para ser reprovado. “Ele veio a título de experiência e não passou. Isso acontece. A gente faz algumas apostas. Umas são acertadas e outras não”, completou.

Se algumas apostas não jogaram e mesmo assim já ficaram fora dos planos, outros tiveram oportunidades de sobra. É o caso do zagueiro Gabriel, que atuou quase mil minutos, sendo titular em nove jogos e participando parcialmente de outros seis. Para quem trouxe os dispensados, o ex-diretor Valmor Zimermann, as saídas apenas refletem a mudança no comando técnico.

“Todos vieram na base do salário, sem custo de empréstimo, nem de direitos [econômicos], nem de nada. Mas certamente não é bem o estilo que o Adilson quer”, opinou. “Quando nós trouxemos o [lateral-direito] Rô­­mulo, eu tentei trazer o [zagueiro] Fabrício do Cruzeiro, mas eles não liberaram antes de terminar o Mineiro. Sempre esbarrou nisso”, lembrou, citando o zagueiro contratado na semana passada.

Além de Fabrício e dos atuais titulares, Manoel e Rafael Santos, o elenco ainda conta com os Bruno Costa e Bruno Pires – recém-promovido dos juniores – para o setor. No gol, Márcio, contratado há um mês, virou a sombra do camisa 1 Renan Rocha.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE