Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Jogadoras da seleção brasileira comemoram juntas um dos dois gols marcados pela atacante Thaizinha no triunfo de ontem sobre o Paraguai | Marcelo Elias/ Gazeta do Povo
Jogadoras da seleção brasileira comemoram juntas um dos dois gols marcados pela atacante Thaizinha no triunfo de ontem sobre o Paraguai| Foto: Marcelo Elias/ Gazeta do Povo

O Brasil estreou com vitória na Co­­pa Sul-Americana Sub-20 de futebol feminino, ontem, com um 2 a 0, na Vila Capanema, so­­bre o Paraguai. A contar pela facilidade com que as meninas co­­mandadas por Caio Couto definiram o jogo, não terão muita dificuldade para chegar ao quadrangular final, que definirá as duas vagas para o Mun­­dial, em agosto. O Paraguai era con­­siderado pelas brasileiras uma das seleções mais preparadas para o campeonato continental.

Foi uma partida tranquila para as brasileiras – em alguns mo­­mentos, quase enfadonha pela falta de combatividade das paraguaias –, acompanhada por diferentes públicos que viram os dois gols de Thaizinha, aos 12 minutos do primeiro tempo e aos 2 minutos da etapa complementar.

Apesar de ser uma competição da Conmebol – instituição que comanda o futebol na América do Sul –, a estreia brasileira teve clima de amistoso. Um programa com cara de velhos tempos – ou com vistas para a Copa de 2014 – pois a cerveja estava liberada, contrariando a proibição prevista no Estatuto do Tor­­ce­­dor.

Nas arquibancadas – o público encheu o setor das sociais da Vila –, havia famílias inteiras com a camisa da seleção nacional, mesmo sem nem ter ideia de quem eram as onze titulares do Brasil. Também havia a torcida de familiares e amigos das atletas. E paranistas, que compareceram para matar a saudade de ver jogos em seu estádio.

Assim, entre os gritos de "Olé" ou "Brasil ! Brasil !", era comum a conversa sobre o anúncio de Ri­­cardinho como novo técnico do Tricolor. "Este ano vai ser melhor, né?", afirmava o representante comercial Rosalvo Pereira Rosa, 40 anos, torcedor paranista, en­­quanto suas filhas, as gêmas Luanny e Laryssa, 11 anos, queriam assistir à partida para aprender um pouco. Elas jo­­gam futebol com outras garotas da escola.

Havia também o setor das tietes, formadas por garotas dos times de base do Atlético, que dividiam os gritos para Thaizi­­nha, Bia e Andressa. "É importante ter um evento desses em Curitiba, para que o fu­­tebol feminino fique mais po­­pular", dizia a volante Sandy No­­ra, de 13 anos.

Também ontem, o Uruguai venceu o Peru, por 2 a 1, no ou­­tro jogo do Grupo A. O Brasil volta a campo na terça-feira, contra o Peru, no Ger­­mano Krüger, em Ponta Grossa.

Hoje tem rodada dupla no Ca­­­­ranguejão, em Paranaguá, pe­­lo Grupo B: 16 h Equador x Venezuela; às 18h10 Argentina x Colômbia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]