Jogo muito pegado e equilibrado no Morumbi acabou empatado, com a contribuição da arbitragem | Gaspar Nobre / Vipcomm
Jogo muito pegado e equilibrado no Morumbi acabou empatado, com a contribuição da arbitragem| Foto: Gaspar Nobre / Vipcomm

Assista aos gols do polêmico empate de São Paulo e Atlético no Morumbi

LANCE A LANCE: Confira a ficha técnica e os principais lances do empate no Morumbi

RESULTADOS: Veja os placares dos outros jogos desta rodada

CLASSIFICAÇÃO: Confira a pontuação do seu time no Brasileirão

PRÓXIMOS JOGOS: Saiba quem a sua equipe vai enfrentar na próxima rodada

  • Borges foi a principal peça ofensiva do São Paulo e deu trabalho à defesa atleticana
  • Já Washington, ex-Furacão, pouco pegou na bola, porém teve participação nos dois gols são-paulinos

O Atlético Paranaense sentiu o gostinho da primeira vitória no Campeonato Brasileiro, mas um polêmico gol aos 43 minutos do segundo tempo definiu o empate em 2 a 2 entre São Paulo e Furacão, na tarde deste domingo, no Morumbi. O Rubro-Negro se apresentou bem durante boa parte dos 90 minutos, liderou duas vezes o marcador, mas o gol de André Lima, que estava em posição de impedimento, garantiu um ponto para cada equipe.

O primeiro tempo foi de muito equilíbrio e chances para os dois lados, mas um arremate de bico do zagueiro Rafael Santos colocou o Atlético na frente. Atuando com inteligência, os rubro-negros não temeram os donos da casa na etapa inicial, mas um erro no começo do segundo tempo deu o empate ao Tricolor paulista, em gol marcado por Borges. O São Paulo pressionou, acertou a trave, mas acabou novamente punido.

Em mais um escanteio, Rafael Santos acertou uma cabeçada certeira e recolocou os visitantes na dianteira. A vitória vinha sendo assegurada com um bom trabalho da retaguarda atleticana até o final do jogo, quando Hugo bateu cruzado e André Lima, em impedimento, igualou. O Furacão ainda reclamou de um toque de mão de Washington no mesmo lance, e apesar das críticas ao árbitro, o ponto somado fora não foi desprezado. Todavia, o tabu de 26 anos sem vencer o adversário no Morumbi permanece.

Agora o Atlético tem uma semana inteira para trabalhar antes do jogo do próximo domingo, às 16h, contra o Náutico, na Arena da Baixada. Já o São Paulo terá o Palmeiras no mesmo dia e horário, também pelo Brasileirão. Mas no meio da semana o compromisso é contra o Cruzeiro, no Mineirão, pelas quartas de final da Taça Libertadores.

Furacão equilibra forças com São Paulo e larga na frente

Se na primeira rodada do Brasileirão o Atlético foi um anfitrião dispersivo, neste domingo os comandados de Geninho mostraram a sua face de visitantes indigestos. Jogando de igual para igual com o badalado São Paulo, o Furacão fez um primeiro tempo de muito equilíbrio. As duas equipes duelaram muito no meio-campo, tiveram chances claras de gol, reclamaram da arbitragem no mesmo tom, porém o time paranaense foi levemente superior.

O primeiro lance capital veio logo aos três minutos, quando Marcinho foi calçado por Miranda na área e o árbitro Wilton Pereira Sampaio não apitou a penalidade máxima. No lance seguinte, Washington deixou Hernanes na cara do gol, mas o camisa 10 tricolor conseguiu errar o alvo. Neste ritmo o confronto seguiu, com uma chance lá, outra acolá. Como de praxe, o Tricolor paulista insistiu nas bolas cruzadas na área, porém a zaga atleticana se saiu bem em quase todos os lances.

Já o Atlético atuava nos contra-ataques velozes, ora puxados por Wallyson, ora por Rafael Moura. A zaga do São Paulo, errando muito, também contribuiu e a chance mais clara de gol para os visitantes veio aos 24 minutos, quando Rafael Moura recebeu sozinho na área e mandou na trave direita do goleiro Bosco. Um pouco antes o arqueiro Galatto garantiu o zero no marcador ao defender um arremate de Borges, também na cara do gol.

Neste equilíbrio o placar sem gols parecia estar tomando forma ao final do primeiro tempo, pela forte marcação realizada no gramado. Entretanto, o Furacão tinha outros planos. Aos 45 minutos, em um escanteio despretencioso, a bola tirada de forma errada parou nos pés de Rafael Santos, e o zagueiro chutou de bico para balançar as redes são-paulinas.

"Valeu pelo gol, não importa se foi de bico", disse o defensor ao final da etapa inicial. O resultado ia colocando fim ao tabu de 26 anos sem vitória atleticana no reduto tricolor.

Tricolor empata, Atlético devolve, mas erro no final irrita rubro-negros

Era de se esperar que o São Paulo viesse para cima do Atlético no segundo tempo, porém o que os atleticanos não queriam era tomar o empate logo de cara. Foi o que aconteceu. Com pouco mais de um minuto, Jorge Wagner bateu lateral, Washington cabeceou para trás e a bola ficou com Borges, que dominou na área e fuzilou para marcar a favor dos donos da casa.

Enquanto o time paulista pressionava com a mesma tática de sempre, o Furacão procurava contra-atacar, mas parava quase sempre no excesso de passes errados. O jogo seguiu morno, com predomínio são-paulino, e aos 24 minutos o meia-atacante Hugo chegou a acertar a trave de Galatto, contudo os atleticanos souberam manter a calma, neutralizar o adversário, e acabaram recompensados.

Em um novo escanteio, aos 29 minutos, Rafael Santos ganhou da zaga, subiu no alto de fez o segundo dos visitantes no Morumbi. O gol fez a pressão do São Paulo aumentar ainda mais do que antes e os comandados de Muricy Ramalho partiram para o ataque, dando espaços não aproveitados pelos rubro-negros. Quando a vitória parecia certa, André Lima – que acabava de entrar – aproveitou chute cruzado de Hugo e marcou.

Enquanto os jogadores tricolores comemoraram muito e ainda procuraram a vitória nos acréscimos, o Atlético procurou se acalmar e garantir o ponto fora de casa. Entretanto, a irritação pelo gol em impedimento e um suposto toque de mão de Washington no mesmo lance irritou a todos na equipe paranaense. "Aqui, o juiz ajuda eles", resumiu Rhodolfo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]