i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Copa do Brasil

Atlético e Brasil-RS travam duelo de estratégias opostas na estreia da Copa do Brasil

Time gaúcho aposta alto no trabalho do técnico Rogério Zimmermann, que está no cargo há três anos. No mesmo período, o Furacão já foi comandado por 13 técnicos

  • PorFelipe Raicoski
  • 17/03/2016 01:07
Paulo Autuori, do Atlético, e Rogério Zimmermann, do Brasil-RS, se enfrentam nesta quinta-feira no Rio Grande do Sul. | Antônio More/Gazeta do Povo e Carlos Insaurriaga/Divulgação
Paulo Autuori, do Atlético, e Rogério Zimmermann, do Brasil-RS, se enfrentam nesta quinta-feira no Rio Grande do Sul.| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo e Carlos Insaurriaga/Divulgação

Adversário do Atlético na estreia da Copa do Brasil, nesta quinta-feira (17), às 21h30, no Rio Grande do Sul, o Brasil de Pelotas tem perfil oposto ao do Furacão na condução do futebol.

O Xavante, como é conhecido, tem Rogério Zimmermann no comando do time desde agosto de 2012, ou seja, são três anos e meio com o mesmo treinador. Neste período, o Atlético já contou com nove técnicos diferentes no banco de reservas. Isso sem contar quatro interinos (veja a lista completa nesta página).

Em 2013, as duas equipes se enfrentaram nesta mesma fase do mata-mata nacional – o Furacão se classificou com duas vitórias. Daquele time, além do comandante, sete atletas seguem no elenco gaúcho. O Atlético tem quatro remanescentes: o goleiro Weverton, o lateral-direito Léo, o zagueiro Cleberson e o volante Deivid.

Escuta de Lula revela conversa sobre Atlético, Ferroviária e contém citação a Mario Celso Petraglia

Leia a matéria completa

“O tempo faz que tenhamos mais possibilidades de conquistar resultados e atingir objetivos. A cada temporada temos trocas, vamos ajustando o grupo, mas sempre mantendo uma base”, exalta Zimmermann, que levou o clube a dois acessos consecutivos: para a Série C do Brasileiro em 2014 e, no ano passado, para a Série B.

FICHA: Veja as prováveis escalações de Atlético e Brasil

A fase em 2016 não é das melhores. O Brasil-RS ocupa apenas a nona colocação no Campeonato Gaúcho, fora da área de classificação à próxima fase e apenas três pontos acima da zona de rebaixamento. Em nove jogos, são duas vitórias, cinco empates e duas derrotas. Apesar do aproveitamento ruim, não se cogita a queda do treinador.

A diretriz é oposta no futebol, mas fora de campo o clube gaúcho se espelha na equipe paranaense. O Brasil-RS tenta imitar o Atlético na forma de administrar o clube. A Arena da Baixada e o CT do Caju são vistos como referências. O técnico ressalta a necessidade do Xavante se estruturar para crescer de maneira sustentável no cenário nacional.

Federação tenta levar decisão do futebol americano para a Arena da Baixada

Leia a matéria completa

“O clube já percebeu que para se manter em alta e ter ambições, precisa melhorar a estrutura. Você não vai ganhar eternamente, é normal a oscilação, mas a estrutura é justamente o que mantém o clube na falta de resultados”, afirma.

O time gaúcho iniciou, em janeiro, a reforma do Estádio Bento de Freitas, que deve ficar pronta em 2017, além da construção de um centro de treinamentos. “A distância entre o Atlético e o Brasil ainda é imensa, mas melhoramos muito”, exalta, na esperança de surpreender o Furacão dentro de campo nesta quinta.

ALTA ROTATIVIDADE

Confira quais foram os técnicos que passaram pelo Atlético nesses três anos e meio em que Rogério Zimmermann segue à frente do Brasil de Pelotas:

Ricardo Drubscky

junho/2012 a julho/2013 – 34 jogos, 19 vitórias, 10 empates, 5 derrotas

Alberto Valentim (interino)

julho/2013 – 1 jogo, 1 derrota

Vagner Mancini

julho a dezembro/2013 – 41 jogos, 20 vitórias, 12 empates, 9 derrotas

Miguel Ángel Portugal

janeiro a maio/2014 – 13 jogos, 5 vitórias, 2 empates, 6 derrotas

Leandro Ávila (interino)

maio/2014 – 4 jogos, 2 vitórias, 2 empates

Doriva

maio a agosto/2014 – 8 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 3 derrotas

Claudinei Oliveira

agosto/2014 a março/2015 – 24 jogos, 9 vitórias, 4 empates, 11 derrotas

Enderson Moreira

março a abril/2015 – 8 jogos, 3 vitórias, 3 empates, 2 derrotas

Milton Mendes

abril a setembro/2015 – 34 jogos, 16 vitórias, 5 empates, 13 derrotas

Sérgio Vieira (interino)

setembro/2015 – 2 jogos, 1 empate, 1 derrota

Cristóvão Borges

outubro/2015 a fevereiro/2016 – 20 jogos, 9 vitórias, 7 empates, 4 derrotas

Bruno Pivetti (intertino)

fevereiro/2016 – 2 jogos, 1 empate, 1 derrota

Paulo Autuori

março/2016 – 1 jogo, 1 vitória

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.