Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Couto Pereira passa por reformas no gramado e  deve ser alugado para o Atlético. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Couto Pereira passa por reformas no gramado e deve ser alugado para o Atlético.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Atlético e Coritiba esperam chegar a um acordo até quinta-feira (21) para alugar o Couto Pereira ao Furacão enquanto está sendo colocado o gramado sintético na Arena da Baixada. A negociação já está adiantada e depende apenas de detalhes.

“Já aceitamos o valor do aluguel. Para o Brasileiro, Copa do Brasil e Primeira Liga deve ser de R$ 70 mil por jogo. Para o Paranaense, de R$ 50 mil”, conta o vice-presidente do Coxa, Alceni Guerra.

Dilma elogiou a camisa do Atlético, garante Emed

Leia a matéria completa

O valor para o Estadual é a metade dos cerca de R$ 100 mil que o Paraná queria para alugar a Vila Capanema ao Furacão. Valor que motivou críticas do presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mario Celso Petraglia, mas que o presidente do Rubro-Negro, Luiz Sallim Emed, prefere não polemizar.

“O Paraná fez um pedido para dizer que nós não aceitamos. Mas não quero entrar em polêmica. Eles têm o direito de cobrar quanto quiserem. Assim como com o Coritiba, queremos ter uma boa relação com o Paraná pelo bem do futebol paranaense”, diz Sallim.

Guerra contou que o problema para um acordo está na reforma do gramado do Couto Pereira, que sofreu muito com a última partida do Brasileiro do ano passado, contra o Vasco, quando o campo estava encharcado pelo excesso de chuva. “Tivemos que fazer uma manutenção pesada no gramado e não sabemos se para o primeiro jogo estará disponível. Mas é só um detalhe técnico”, afirma o vice coxa-branca.

A previsão é de que o campo sintético da Arena esteja pronto no dia 15 de fevereiro. Antes disso, como mandante, o Atlético enfrenta no Paranaense o Maringá, no dia 3, e o J.Malucelli, no dia 14. Pela Primeira Liga o primeiro jogo em casa será contra o Criciúma, no dia 18, quando o Furacão já espera estar de volta à sua casa.

“A rivalidade tem que ficar dentro de campo. Fora, temos que fortalecer o futebol do estado. Como presidente, sou o principal representante da torcida. A nossa ideia é encontrar o lugar mais confortável possível para os nossos torcedores”, explica Sallim.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]