Perto de sair, Nathan voltou a ser aproveitado | Albari Rosa/ Gazeta do Povo
Perto de sair, Nathan voltou a ser aproveitado| Foto: Albari Rosa/ Gazeta do Povo

Apesar da liminar conquistada pelo Atlético na semana passada, que valida provisoriamente o contrato do meia Nathan com o clube até março de 2017, o futuro do jogador de 18 anos está próximo de ser resolvido – e longe do CT do Caju. A expectativa do pai e empresário do atleta, José Carlos Souza, é que até o fim de novembro o Furacão aceite uma proposta para negociá-lo.

"O nosso lado está acertado. Depende do Atlético. Tem duas propostas com a diretoria. Só que não gostaria de comentar sobre os clubes", disse Souza à Gazeta do Povo. "Até novembro estará tudo acertado", completou, esperançoso. Um dos interessados é o francês Monaco. A ponte seria feita pelos ex-jogadores e agora empresários Deco e Luizão.

A reportagem apurou que será necessário um investimento de R$ 12 milhões a R$ 15 milhões para a negociação se concretizar, montante que reforça a vantagem que o Atlético conseguiu assim que a 15.ª Vara do Trabalho decidiu o caso a seu favor, pelo menos até o julgamento final.

Antes da liminar, a multa rescisória de Nathan era de apenas R$ 2,4 milhões. E, a partir de hoje, ele poderia assinar um pré-contrato para deixar o clube de graça em 31 de março de 2014. "A diferença [de valores] é muito grande, mas sei que tem gente que banca. Agora mesmo ele havia sido convocado para a seleção [olímpica]. Tem muita gente apostando nele", fala o pai do atleta.

No último sábado, depois de onze rodadas sem jogar, Nathan atuou cerca de 20 minutos na derrota para o Fluminense, no Rio de Janeiro. O receio de que o filho seja afastado e não apareça mais até o fim do ano é um dos motivos pelo qual cassar a liminar atleticana, neste momento, não é uma hipótese. Se for o caso, a defesa do meia tem até 26 de março do ano que vem, data da reunião na Justiça do Trabalho, para tentar reverter a decisão provisória.

"Nem acreditei que ele jogou [contra o Flu]. É um assunto meio delicado, fico com medo de que eles encostem o Nathan, como fizeram com o Manoel. Estar jogando já é uma grande coisa. Quem sabe ele não ganha outra chance no domingo", atesta Souza, que há mais de um ano se reúne com o presidente Mario Celso Petraglia sobre a renovação de contrato do filho. Em nota, o clube disse que uma proposta de R$ 20 mil mensais e luvas e R$ 1 milhão foi recusada.

O salário atual de Nathan é R$ 1,4 mil por mês. "Que­­remos que o Atlético também ganhe com a negociação e ele possa sair numa boa. A intenção é valorizar o clube por tudo o que fez por ele. Estamos bem próximos disso", termina.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]