i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
política

Para desafiar Petraglia, Paulo Rink exige apoio total da oposição do Atlético

Vereador foi convidado para disputar eleição do Atlético, mas só aceita bate-chapa se as duas alas contra presidente se unirem

  • PorEduardo Luiz Klisiewicz
  • 08/10/2015 20:29
Vereador Paulo Rink espera por união de chapas de oposição a Petraglia para aceitar concorrer à presidência do Atlético. | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Vereador Paulo Rink espera por união de chapas de oposição a Petraglia para aceitar concorrer à presidência do Atlético.| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

O vereador Paulo Rink (PPS), ídolo do Atlético nos anos 90, foi convidado para enfrentar Mario Celso Petraglia – ou um candidato indicado pelo atual presidente –nas eleições do clube que serão realizadas em dezembro.

O “sim” do ex-jogador, no entanto, está condicionado a uma união dos dois grupos de oposição do Rubro-Negro.

Quem fez o convite foi o advogado Henrique Gaede, líder de uma das alas que se opõe à atual gestão do Furacão. Ainda há outro grupo de oposição, chamado “Democracia Atleticana”, que conta com o apoio do ex-presidente José Carlos Farinhaki.

Rink não considera saudável esta divisão.

ENQUETE: É justo Paraná e Coritiba receberem ajuda do poder público para construir um estádio?

Participe da votação

“Não penso em aceitar [o convite] nesse momento pela existência de dois grupos de oposição. Apesar de ter colocado meu nome para ajudar, do jeito que está, vou me abster”, disse o vereador, que acredita que o ideal seria uma chapa única, inclusive com membros da atual gestão. “Mas sei que talvez isso não seja possível. É um sonho”.

Se participar do processo eleitoral, Rink considera que tem como principal trunfo a boa relação com o poder público, o que, segundo ele, seria fundamental para o clube resolver as pendências com a prefeitura e o governo estadual, relativas à reforma da Arena da Baixada para a Copa .

“Poderia intermediar para que o clube possa pagar o que deve ou tentar encontrar uma solução mais transparente”, disse. “Não adianta o Atlético ter lado A, lado B e lado C. Tem que ser o lado do Atlético para resolver as dívidas que o clube fez e não correr o risco das penhoras”.

Paulo Rink teve uma passagem conturbada como dirigente pelo Furacão. Em 2011, ano que o Rubro-Negro foi rebaixado para a Série B, ele exercia a função de gerente de futebol na gestão de Marcos Malucelli e foi acusado de falta de comprometimento.

Durante uma viagem do time para jogar em Florianópolis, Rink participou de um torneio de pôquer no hotel em que o elenco estava concentrado. Depois disso, acabou demitido.

Atlético lança camisa infantil do goleiro Weverton

Leia a matéria completa

Além do vereador, o grupo de Henrique Gaede cogita outros dois nomes para enfrentar a situação: João Alfredo da Costa Filho, que já ocupou o cargo de vice-presidente na atual gestão duas vezes, e Guivan Bueno, presidente do Conselho Deliberativo em 2001, quando o Atlético conquistou o título brasileiro.

“São grandes atleticanos, todos com história no clube, e com carinho da torcida. Na próxima semana definimos o nome para lançar a chapa”, disse Fernando Munhoz, coordenador da campanha. O grupo tem o apoio oficial dos ex-presidentes Ênio Fornéa, Valmor Zimermann e Marcos Coelho, este também campeão brasileiro de 2001.

Farinhaki preferiu não opinar sobre a ideia, mas reconheceu que um nome conhecido como o do ex-jogador pode ajudar na disputa. “Estamos abertos a todas as possibilidades. Já convidamos o outro grupo para conversar várias vezes, mas eles nunca se posicionaram. O Rink é um nome a ser respeitado, mas não queremos forçar nada. Vai acontecer naturalmente”, contou o ex-presidente.

Fernando Munhoz aponto a solução e promete definições para os próximos dias. “Vamos reagrupar os atleticanos, oposição e torcida. O nome será conciliador e unânime”, concluiu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.