Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Volante Otávio, um dos destaques do Atlético no Brasileirão, foi chamado para amistoso da seleção olímpica na França. | Hugo Harada/Gazeta do Povo
Volante Otávio, um dos destaques do Atlético no Brasileirão, foi chamado para amistoso da seleção olímpica na França.| Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

Os principais clubes do país se articulam para boicotar a seleção brasileira olímpica. Liderados pelo Grêmio, a intenção é pedir à CBF a desconvocação coletiva de 12 atletas chamados na semana passada pelo técnico Dunga para o amistoso contra a França, no dia 8 de setembro, em Le Mans. Como o Campeonato Brasileiro não será interrompido, esses jogadores desfalcariam seus clubes em três rodadas.

“A ideia é fazer um movimento em conjunto para não desequilibrar o campeonato. A dispensa seria coletiva para não ter privilégio a nenhum clube. O movimento não é pessoal do Grêmio e, assim, ficaria mais fácil para a CBF tomar a sua decisão”, afirmou à reportagem o presidente Romildo Bolzan Junior.

Corinthians e Flamengo estariam dispostos a aderir ao movimento. Também tiveram atletas convocados pela seleção olímpica Bahia (Série B), São Paulo, Palmeiras, Fluminense, Atlético, Atlético-MG e Cruzeiro. Os demais atletas atuam na Europa.

O volante Otávio, do Furacão, foi chamado por Dunga, porém o clube não se manifestou sobre pedido de liberação do jogador. De qualquer forma, o presidente Mario Celso Petraglia tem batido de frente com a CBF em alguns pontos, inclusive calendário.

“São jogadores importantes para as equipes que estão disputando o Campeonato Brasileiro. Se alguém não quiser participar desse movimento, não tem problema. Mas a ideia é não prejudicar ninguém e fazer uma coisa que fique bem para todo mundo. A CBF, inclusive, não vai sofrer nenhum atropelo porque a seleção olímpica vai disputar apenas um jogo amistoso lá na França”, disse Bolzan, que também é integrante da Comissão Nacional de Clubes, grupo que reúne nove presidentes: cinco da Série A, dois da Série B, um da Série C e um Série D.

Com a dispensa coletiva da seleção olímpica, a estratégia dos clubes é tentar evitar que algum atleta sofra retaliações da CBF e não volte a ser convocado por Dunga. Apesar de o treinador ter sido o responsável pela divulgação da lista, quem comandará a equipe durante a excursão à França será Rogério Micale. Nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio, o treinador será Dunga.

Como parte do projeto de integração entre o time sub-23 e a seleção principal, a intenção da CBF é que a apresentação dos jogadores das duas equipes ocorra no dia 31 de agosto e a dispensa em 9 de setembro.

Atlético Mineiro, Corinthians e Grêmio também serão desfalcados pela seleção principal que disputará os amistosos contra Costa Rica e Estados Unidos, nos dias 5 e 8 de setembro, respectivamente. Do clube gaúcho foi convocado o goleiro Marcelo Grohe, do paulista foi chamado o volante Elias e o time mineiro ficará sem o lateral-esquerdo Douglas Santos. Esses atletas também perderão três rodadas do Brasileirão.

“Mais adiante vamos ter de ajustar o calendário do futebol brasileiro. É uma discussão que vem junto com essas convocações das seleções principal e olímpica”, sugeriu Bolzan. O tema deverá ser discutido na próxima reunião da Comissão Nacional de Clubes, agendada para a primeira semana de setembro, no Rio.

Gilmar Rinaldi, coordenador de seleções da CBF, disse nesta quarta-feira que não recebeu nenhum pedido de liberação de jogadores convocados para a seleção olímpica. O dirigente não parece disposto a atender a reivindicação dos clubes insatisfeitos com a convocação de Dunga. “Os clubes vão entender que é importante a participação destes jovens jogadores na seleção olímpica”, afirmou.

Gilmar Rinaldi aproveitou para revelar que a CBF estuda mudanças no calendário do futebol brasileiro. A principal medida seria não ter rodadas dos campeonatos no País em datas Fifa, reservadas aos amistosos da seleção e jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O dirigente comentou que o estudo está adiantado e, em breve, a CBF vai resolver o problema.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]