Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Bom ambiente é um dos motivos que pesaram na decisão do atacante | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
Bom ambiente é um dos motivos que pesaram na decisão do atacante| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Ambiente

Criado em uma região pobre do Recife, o atacante estaria voltando para casa em Pernambuco, fato que preocupa a esposa, a mãe e o empresário de Walter. Uma das principais razões para o receio são as amizades que o jogador voltaria a ter, consideradas nocivas por pessoas próximas a ele.

Empatia com a torcida

Mesmo com toda a confusão em que se meteu nas férias, o atacante ainda é visto com bons olhos por grande parte dos atleticanos. Walter declarou amor ao Sport, mas mostrou também ter respeito pela torcida do Furacão, que o acolheu logo em sua chegada e seguiu apoiando o avante mesmo diante da fase de oscilação pela qual passou no meio da temporada, quando chegou a ficar alguns jogos na reserva do time.

Apoio da diretoria

Se com os torcedores o clima é razoavelmente bom, com os diretores do clube Walter tem conexão ainda maior. Além de fazer campanha para a chapa da situação no último pleito, que elegeu o presidente Luiz Sallim Emed, em dezembro de 2015, o atacante sempre recebeu palavras de incentivo dos dirigentes e, mesmo quando sinalizou que iria sair do clube, agradeceu ao ex-mandatário do clube, Mario Celso Petraglia, em uma postagem em sua rede social.

Estrutura

A eterna luta contra a balança segue e o jogador chegou a prometer, no final de 2015, que perderia peso para a temporada 2016. No CT do Caju, Walter tem todo o suporte para evitar o sobrepeso. A estrutura do centro de treinamentos do Atlético está entre as melhores do Brasil.

Tranquilidade

Com a carreira marcada por confusões e desacertos desde que foi revelado pelo Internacional, a postura do avante no Rubro-Negro é diferente. Por aqui, as confusões com companheiros de time, os bate-bocas públicos com dirigentes e os sumiços dos treinamentos não foram vistos, o que reforça a tranquilidade do ambiente vivido no Furacão. Fato que pesa muito para a permanência em Curitiba.

Continuidade

Com o elenco e da comissão técnica atuais, Walter não teria problemas de adaptação ao ‘novo’ clube. O jogador conta com o apoio do técnico Cristóvão Borges para continuar como um dos líderes do elenco na temporada 2016.

Rendimento

Após uma temporada e meia de insucessos e pouco rendimento em campo pelo Fluminense, Walter veio ao Furacão e reencontrou o futebol que apresentava no Goiás, e que o levou a ganhar destaque no Brasil. A volta da titularidade e dos gols fizeram de Walter uma das principais peças atleticanas no segundo semestre de 2015.

Histórico de reabilitação

O Atlético tem história em recuperar jogadores com condições físicas adversas. Dois exemplos recentes são o atacante Washington, que foi diagnosticado com problemas cardíacos e quase abandonou a carreira antes de se reabilitar no CT atleticano. Outro que viu sua vida esportiva se reerguer foi o goleiro Rodolfo, que enfrentou um problema de dependência de drogas, chegou a ser suspenso do futebol por um ano e se reabilitou, voltando aos gramados em 2015.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]