Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

Paranaense

Nos pênaltis, Coritiba é tricampeão paranaense

Depois de um 0 a 0 no tempo normal, Coxa faz 5 a 4 no Atlético nas penalidades. É o 36º título estadual alviverde

  • Adriano Ribeiro
  • Atualizado em às
Ouça como foi a disputa de pênaltis. A narração é de Edilson de Souza, da Rádio 98 FM |
Ouça como foi a disputa de pênaltis. A narração é de Edilson de Souza, da Rádio 98 FM
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Coritiba é o campeão paranaense de 2012. Depois de um 0 a 0 no tempo regulamentar, o Coxa bateu o Atlético nos pênaltis por 5 a 4 e garantiu o título. O Alviverde chega ao tricampeonato estadual, o que não ocorria desde 1973.

Este é o 36ª título regional do Coritiba. Foi a sétima vez que o campeonato foi conquistado em uma decisão contra o arquirrival. O último triunfo sobre o Atlético em decisões havia sido conquistado em 2008.

Éverton Ribeiro foi quem anotou o pênalti decisivo que desencadeou a festa no estádio Couto Pereira, que recebeu 23.605 pagantes neste domingo (13). O equatoriano Guerrón foi o único jogador a desperdiçar a penalidade.

"Matamos alguns coxas-brancas do coração, mas agora é só festa. É muita emoção, você vai concentrado para bater o pênalti no cantinho, para tirar do goleiro. Felizmente fiz o gol. Hoje é um grande dia para o Coritiba", declarou Ribeiro.

"Na cobrança de pênaltis, se você não pegar, dificilmente sua equipe irá ganhar.Eu tinha visto uns quatro pênaltis do Guerrón, dois em cada canto e o último tinha sido no canto direito, ainda bem que fui no canto esquerdo e peguei", contou o goleiro Vanderlei.

O jogo

As duas equipes, que fizeram muito mistério ao longo da semana, confirmaram as escalações apenas minutos antes do início da partida. Marcelo Oliveira confirmou o retorno de Rafinha e voltou a escalar Anderson Aquino entre os titulares. Lincoln foi sacado do time.

Juan Ramón Carrasco, como usual, surpreendeu os atleticanos. O uruguaio realizou sete alterações no time em relação ao primeiro Atletiba da final: as principais novidades foram a escalação de Renan Foguinho na zaga, com Bruno Costa deslocado para a lateral esquerda e a opção por deixar Martin Ligüera, um dos principais destaques da equipe, no banco de reservas.

Apesar de todas a mudanças, o Furacão não se intimidou no Couto Pereira e foi melhor do que o Coxa no primeiro tempo. A equipe rubro-negra esteve mais presente no campo do ataque - buscando principalmente as jogadas com Guerrón – e conseguiu anular as principais peças ofensivas do rival.

O Coritiba chegou com perigo ao gol de Rodolfo apenas uma vez. Aos 17 min, Tcheco cobrou escanteio, Lucas Mendes cabeceou e o atleticano Renan Teixeira desviou para fora antes que Roberto pudesse completar para as redes. Apesar de mais organizado, o Atlético também não assustou muito Vanderlei na etapa inicial. Resultado: um jogo muito truncado.

E em uma decisão com muitas divididas, cada time perdeu um jogador contundido ainda no primeiro tempo. Tcheco, em seu último Atletiba (vai se aposentar após a Copa do Brasil), sentiu dores na panturrilha e deu lugar a Djair. No Rubro-Negro, Bruno Costa sentiu a coxa esquerda e foi substituído por Heracles.

Para o segundo tempo, os treinadores optaram por mais mudanças: Everton Costa entrou no lugar de Anderson Aquino no Coritiba e Alan Bahia ganhou a vaga de Renan Teixeira no Atlético. Antes dos 15 min, Carrasco ainda colocou Liguëra no lugar de Paulo Baier.

O Coritiba mudou a postura e pressionou o Atlético. Rafinha – que depois deixou o jogo para a entrada de Lincoln – e Éverton Ribeiro arriscaram chutes ao gol adversário ainda no início da etapa final. Aos 28 min, Rodolfo fez uma defesa espetacular após cabeçada de Everton Costa, mas o lance já era invalidado pela arbitragem por causa de impedimento do atacante coxa-branca.

O Alviverde dominava praticamente todas as ações ofensivas da partida, mas não conseguiu furar o bloqueio rubro-negro. Em uma partida em que a marcação predominou, muitos cartões amarelos foram distribuídos – oito ao todo. No fim, 0 a 0 e a definição do campeão ficou para as cobranças de pênaltis.

Pênaltis

O Atlético iniciou a disputa por pênaltis. Alan Bahia, Deivid e Zezinho marcaram para o Furacão. Lincoln, Roberto e Junior Urso também não desperdiçaram para o Coxa.

Guerrón perdeu a penúltima cobrança atleticana. O equatoriano bateu rasteiro e Vanderlei fez a defesa. Everton Costa marcou e colocou o Coxa em vantagem. Ligüera fez e manteve as esperanças do Rubro-Negro, mas Éverton Ribeiro, o camisa 10 coxa-branca, acertou a quinta e última cobrança e garantiu o título estadual ao Coritiba.

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Esportes

PUBLICIDADE