Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Neymar foi expulso após se envolver em confusão depois do apito final da derrota para a Colômbia. | Ricardo Moraes /Reuters
Neymar foi expulso após se envolver em confusão depois do apito final da derrota para a Colômbia.| Foto: Ricardo Moraes /Reuters

A CBF vai defender nesta sexta (19) a punição de apenas uma partida para o atacante Neymar na Copa América. O documento de defesa enviado ao Tribunal da Conmebol vai se basear na tese jurídica do “quantum satis”, quanto suficiente, para o jogador do Barcelona.

Neymar foi expulso na quarta (18) logo após o encerramento da derrota para a Colômbia, por 1 a 0, em Santiago. O jogador foi o pivô de de uma confusão no campo. Ele tentou dar uma cabeçada num adversário e trocou empurrões com os colombianos. Antes, ele já havia recebido o cartão amarelo, o seu segundo no torneio, e teria que cumprir suspensão automática.

O diretor jurídico da CBF, Carlos Eugênio Lopes, vai alegar que uma punição superior a uma partida seria muito dura com Neymar e afirma que o regulamento da competição é omisso ao tratar sobre a suspensão automática por amarelo no mesmo jogo que o atleta recebe o vermelho.

O caso será julgado provavelmente no sábado (20) pelo tribunal.

“A suspensão por uma partida é mais que suficiente para sancionar o Neymar pela falta que praticou. Qualquer outra coisa é demais para um atleta que é caçado em campo”, disse o dirigente.

Lopes culpou o “fraco nível da arbitragem” pela expulsão do jogador. “Ele recebe falta de todas as formas em campo. Quando dá um lençol, o juiz o adverte após marcar a falta. O bandeira ficou chamando o Neymar de piscineiro, segundo o próprio jogador e a comissão técnica. Isso o desestabilizou”, afirmou.

Apesar da CBF alegar omissão no artigo, especialistas em direito esportivo acreditam que Neymar terá que ser punido com, no mínimo, duas partidas. O texto do regulamento diz que “se um jogador é culpado de conduta antidesportiva grave e é expulso do terreno de jogo [cartão vermelho direto], toda advertência que tiver recebido previamente no curso da mesma partida manterá sua vigência.”

Os organizadores da Copa América mudaram de opinião durante o dia sobre a punição preventiva imposta a Neymar. No início da manhã, o site do torneio informava que o atacante brasileiro estava suspenso preventivamente por duas partidas. Horas depois, a informação foi alterada. Os organizadores disseram que Neymar estava fora apenas de uma partida.

A tese da CBF ganhou força na Comissão Disciplinar da Conmebol. O presidente do órgão, o brasileiro Caio Rocha, acredita que Neymar deve ser punido por apenas um jogo.

“Em tese, ele pode ser suspenso apenas uma partida. O regulamento não deixa claro se o amarelo recebido na partida de ontem, o seu segundo no torneio, é mantido. Caso o tribunal entenda que o amarelo é anulado pelo vermelho, a suspensão automática cai e o Neymar poderá ser punido com apenas um jogo pela expulsão’, disse Rocha. Ele também é presidente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Rocha não vai participar do julgamento. Pelas regras do tribunal, ele não pode julgar casos envolvendo atletas brasileiros.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]