Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Keirrison , jogador do Coritiba. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Keirrison , jogador do Coritiba.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

O filho do atacante Keirrison, do Coritiba, Henri Lucas Buss Carneiro, 2 anos, morreu na noite da última terça-feira (11), no Hospital Vita, em Curitiba, por conta de um problema respiratório.

A informação foi confirmada pelo ex-empresário do jogador, Marcos Malaquias, por meio das redes sociais. “É com muita tristeza que comunico o falecimento do filho do Keirrison”, escreveu o empresário.

A criança será velada no Cemitério Jardim da Saudade II, capela 3, em Pinhais, na Região Metropolitana. O enterro está programado para às 17h desta quarta-feira (11). Henri era filho de Keirrison com Hevelin Buss, irmã do zagueiro Henrique, ex-Coritiba.

Além do problema pessoal, Keirrison passa por um momento delicado na carreira profissional. O jogador decidiu não entrar em campo contra o Figueirense (31/10) por causa de salários atrasados. Diante do episódio, o clube o dispensou. E o jogador fez um forte desabafo contra a diretoria.

O Coritiba lamentou a morte através de uma nota no site do clube. “A diretoria coxa-branca, em nome de atletas, comissão técnica e corpo funcional, transmite suas condolências à família de Keirrison e do pequeno Henri.”

Boletim médico

Conforme boletim médico divulgado na tarde desta quarta-feira (11), assinado pelo doutor Luiz Fernando Kubrusly , Henri “deu entrada no Hospital VITA Curitiba próximo das 23 h do dia 10 de novembro (terça), trazido pelos pais, com quadro aparentemente infeccioso que se iniciou, segundo relato dos pais, há quatro dias e estava sendo acompanhado pelo pediatra da família como um quadro de virose. O menor foi prontamente atendido pelo serviço de pediatria, que detectou a gravidade do caso que apresentava baixa oxigenação, rebaixamento do nível de consciência tendo a conduta de transferência para a internação em UTI pediátrica. Antes mesmo da transferência, o menor apresentou parada cardíaca e respiratória, que, apesar das manobras exaustivas da equipe pediátrica, que duraram cerca de uma hora, não apresentou recuperação, indo a óbito a 1h da manhã.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]