Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | /
| Foto: /

A vitória por 2 a 0 sobre o Atlético na Baixada, no último domingo (20), valeu mais do que três pontos no Estadual para o Coritiba .

Quando o árbitro Fábio Filipus assinalou o fim do duelo, o Coxa registrou sua maior primazia da história no confronto contra seu grande rival: 28 triunfos de vantagem. Marca que supera inclusive o desequilíbrio estabelecido nos anos 70, quando os coxas-brancas alcançaram 27 vitórias de superioridade sobre o Furacão.

O levantamento é de Guilherme Straub, do Grupo Helênicos, responsável por dados históricos do Coxa.

INFOGRÁFICO: veja década a década o retrospecto do clássico

Aumentar essa vantagem de vitórias [sobre o Atlético] é muito bom. Queremos ampliar essa meta

Alan Santos, volante do Coritiba

A atual hegemonia alviverde contrasta com o equilíbrio dos primórdios do Atletiba. Ao fim da década de 40, o Coritiba havia vencido 33 clássicos, contra 32 triunfos do Atlético. A partir de então, teve início a disparidade, que alcançou seu primeiro auge na década de 70, que terminou com 89 triunfos do Coxa, contra 62 do Rubro-Negro.

“Os Atletibas que vencemos na década de 70 eram grandes batalhas, porque muitas vezes tínhamos time inferior e mesmo assim vencíamos”, destaca o ex-jogador atleticano Barcímio Sicupira, que cita a superioridade financeira do Coxa e a posse do Couto Pereira [então Belford Duarte, até 77] como fatores diferenciais para o rival.

Os Atletibas que vencemos na década de 70 eram grandes batalhas, porque muitas vezes tínhamos time inferior e mesmo assim vencíamos

Barcímio Sicupira, ex-jogador do Atlético

De 1970 a 1987 foram jogados 86 clássicos, sendo 77 na casa alviverde, seis no Joaquim Américo, dois no Durival Britto e um em Laranjeiras do Sul. Isto porque mesmo quando o mando era atleticano, a partida acabava disputada no estádio rival, pela maior capacidade de público. “Alguns campeonatos que ganhamos nesse período, dentre eles o título de 70, foram verdadeiros atos de heroísmo”, prossegue Sicupira.

Na década de 80, entretanto, o Furacão diminuiu o prejuízo, terminando o período com 16 vitórias a menos do que o rival. “O Atlético montou grandes times, como a equipe de Washington e Assis, conseguindo tirar essa diferença”, recorda o ex-atleta alviverde Dida.

Após novembro de 1999, quando teve início a ‘era Arena’, o Atlético passou a mandar seus jogos definitivamente na Baixada. Mas, apesar de esboçar uma reação nos anos 2000, o Rubro-Negro viu o rival bater o recorde de disparidade nos anos 2010. “Aumentar essa vantagem de vitórias é muito bom. Queremos ampliar essa meta”, promete o volante Alan Santos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]