i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
PARANAENSE

Vilson diz que Londrina criou pressão dos juízes contra o Coxa

Após culpar a arbitragem pelo empate com o lanterna Nacional, presidente afirma que o LEC inventou "fantasia"

  • PorGustavo Ribeiro
  • 28/03/2013 21:31
Mesmo apontando o dedo para a arbitragem, Vilson Ribeiro de Andrade reconhece que o Coritiba relaxou no empate com o Nacional | Daniel Caron / Gazeta do Povo
Mesmo apontando o dedo para a arbitragem, Vilson Ribeiro de Andrade reconhece que o Coritiba relaxou no empate com o Nacional| Foto: Daniel Caron / Gazeta do Povo

Seguindo a linha de dirigentes de outros clubes, desta vez foi o presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, quem disparou contra a arbitragem do Paranaense. Depois de colocar a culpa no árbitro Lucas Paulo Torezin pelo empate com o Nacional por 1 a 1 na quarta-feira, o mandatário coxa-branca afirmou ontem que existe uma má vontade dos apitadores em relação ao Alviverde.

"Existe uma pressão na arbitragem. Quando [os juízes] apitam jogos do Coritiba já vão com aquela predisposição de não poder errar. Aí acontecem erros – e que geralmente são contra nós. É um ônus que temos de lidar", reclamou.

Segundo Andrade, essa mudança de postura dos apitadores é de responsabilidade do Londrina, que reclamou de três pênaltis na "decisão" do primeiro turno. "O Londrina criou essa fantasia de uma mentira de Goebbels [ministro da Propaganda de Hitler], de tanta mentira que o povo acredita. Eles colocaram uma mentira tão grande que agora todos os pênaltis a favor do Coritiba não podem marcar", completou.

Apesar de apontar o dedo contra a arbitragem, o presidente do Alviverde reconheceu que os jogadores relaxaram no segundo turno e que essa postura deixou o Coritiba fora da briga pelo título antecipado. Como está garantido na final, Andrade diz acreditar em uma mudança de atitude na decisão. "Em uma partida decisiva, a motivação é outra e a responsabilidade fica muito equilibrada entre os dois time. O Coritiba vai cumprindo tabela no segundo turno, mas na final são partidas únicas", fechou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.