Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Futebol
  4. Paraná Clube
  5. Volante do São Bernardo sofre ofensas racistas na Vila Capanema

Copa do Brasil

Volante do São Bernardo sofre ofensas racistas na Vila Capanema

Dois torcedores do Paraná chamaram o jogador Marino de “macaco” e “gorila” após ele ter sido expulso no duelo da Copa do Brasil

  • Maria Luiza Iubel, especial para a Gazeta do Povo
Ainda na Vila Capanema, Marino registrou boletim de ocorrência na unidade da Demafe |
Ainda na Vila Capanema, Marino registrou boletim de ocorrência na unidade da Demafe
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Um caso de injúria racial foi registrado na partida entre Paraná e São Bernardo, válida pela Copa do Brasil, na noite desta quinta-feira (10), na Vila Capanema. O volante Marino, do time paulista, foi chamado de “macaco” e “gorila” por dois torcedores do Tricolor que estavam no alambrado.

O fato ocorreu já nos acréscimos do segundo tempo da partida vencida pelo Paraná, quando o jogador deixava o campo após ter sido expulso. “Eles me xingaram e aí fui para cima deles discutir. Um torcedor da minha cor viu e foi atrás, mas saíram correndo”, disse o atleta, que foi chorando para o vestiário após o incidente.

Marino registrou boletim de ocorrência na unidade da Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe) que funciona no estádio. Os torcedores não foram identificados, no entanto, foi aberto um inquérito na Polícia Civil.

Segundo o delegado Fábio Lopes, um ofício foi enviado para emissoras de televisão e para o Paraná pedindo imagens que possam ajudar na identificação dos torcedores.

"Agora vamos tentar a identificação através das imagens de comunicação e sistemas do estádio. Qualquer tipo de informação pode ajudar", comentou.

“Eu consigo reconhecer. Vou fazer de tudo o que puder para pegar esses caras”, disse Marino. Se forem identificados, os acusados serão enquadrados por injúria racial (lesão à honra de uma pessoa). O crime permite fiança e a pena máxima é a reclusão por oito anos.

O presidente do São Bernardo, Luiz Fernando Ferreira, afirmou que a equipe paulista vai tomar providências para punir os envolvidos. “Isso tem que ser banido do futebol. Vamos relatar para a CBF e vamos até as últimas consequências para que haja punição”, destacou o dirigente.

Ferreira ainda cobrou um posicionamento do Paraná no caso. “O time não tem culpa, mas são torcedores do Paraná. Cabe ao clube apurar isso também, porque é um crime”, completou.

O vice-presidente de futebol do Tricolor, Celso Bittencourt, garantiu que o clube vai ajudar a encontrar os torcedores responsáveis pelas ofensas. "O Paraná não compactua com essas atitudes e vai colaborar para que as pessoas sejam identificadas. Estamos à disposição para ajudar", disse em entrevista à Rádio Banda B.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE