A Penske, de Hélio Castroneves, ganhou o prêmio de pit stop mais rápido | Donald Miralle/Getty Images AFP
A Penske, de Hélio Castroneves, ganhou o prêmio de pit stop mais rápido| Foto: Donald Miralle/Getty Images AFP

Indianápolis - Todas as atenções nas 500 milhas de Indianápolis, com largada hoje, às 14 h (de Brasília), estão voltadas para o nome mais famoso da Fórmula Indy atual: o brasileiro Hélio Castroneves, da Penske. Livre de todas as acusações de problemas fiscais que o levaram ao tribunal nos Estados Unidos, ele é o pole position e o grande favorito a conquistar a prova. Se tudo correr como está até este fim de semana.

Castroneves está em ascensão e ansioso. "Eu me sinto muito confiante. Eu não consigo esperar pelo domingo, eu quero aquilo (a corrida)", disse, com ansiedade e sorrisos, muitos desde que voltou às corridas. O que lhe ajuda na confiança é que ele foi o mais rápido no último treino livre e sua equipe ainda ganhou o prêmio do torneio de pit stops mais rápidos. Helinho já acumula 69 pontos e está a 31 do líder da temporada Tony Kanaan (Andretti Green), que larga na sexta posição.

Para Kanaan, que homenageará o amigo Rubens Barrichello com um capacete com as cores da Brawn GP, da Fórmula 1, esse "esquecimento" de atenção é positivo. Ansiedade, aliás, costuma prejudicar nesta prova, que beneficia regularidade e estratégia. "Essa corrida já aprendi que não dá para forçar, principalmente eu (ele é bicampeão da Indy, mas nunca venceu em Indianápolis). Só digo que quero ficar entre os quatro até o último pit stop e aí vou para a corrida".

Raphael Matos (Luczo Dragon, larga em 12.º), por exemplo, respirou Indianápolis a semana toda. "Durmo no motorhome, faço academia aqui, minhas refeições são com a equipe, isso aqui é ótimo". O estreante mais rápido da prova diz que sua tática é o contrário: sossego. "Quero ficar tranquilo, tem muita gente aqui, quero ficar o mais relaxado possível". Seu objetivo é terminar entre os dez primeiros.

Os outros brasileiros na prova são Mário Moraes (KV Racing), que larga em sétimo lugar, e Vitor Meira (A.J. Foyt), o 14.º. Moraes também ressalta a necessidade de regularidade. "Aqui não se ganha a corrida na primeira volta, mas se pode perder tudo nela. São mais de três horas de corrida e nove pit stops, nós temos de ter um carro rápido para as últimas 30 voltas. E acho que temos isso", contou.

Ao lado de Castroneves na primeira fila estão Ryan Briscoe (Penske) e Dario Franchitti (Chip Ganassi). O campeão do ano passado, tanto da prova quanto da categoria, o neozelandês Scott Dixon (Chip Ganassi), é o quinto. A previsão é de tempo bom em toda a prova, o que diminui a chance de o tempo de corrida ser maior do que as estimadas 3 horas e 30 minutos.

Ao vivo

500 Milhas de Indianápolis, às 13h30, no BandSports.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]