O Vasco parece ter reencontrado seu rumo na Série B. Conseguiu sua segunda vitória consecutiva ao bater o Vila Nova por 2 a 0 em Goiânia, mesmo atuando quase a partida inteira com um jogador a menos. O atacante Robinho foi expulso aos sete minutos. O resultado deixa o time colado nos primeiros colocados, com 20 pontos. O adversário, no outro extremo, aproxima-se da zona de rebaixamento, com 12.

Os gols foram marcados por Fágner, que voltou a jogar bem, e Elton. Mais uma vez, a defesa teve uma atuação segura. Nas poucas vezes em que falhou, brilhou a estrela do goleiro Fernando Prass, com duas defesas difíceis. O time não levou gol em nove dos 11 jogos na competição e está invicto há sete, incluindo um contra o Corinthians pela Copa do Brasil.

As duas equipes voltam a entrar em campo na sexta-feira, às 21h. O Vasco recebe o ABC em São Januário, na estreia da nova camisa, e o Vila encara o Figueirense fora de casa, no Orlando Scarpelli.

Expulsão logo no começo

Robinho, que havia se destacado na vitória sobre a Ponte Preta, cometeu dois erros nos sete minutos em que esteve em campo. Primeiro, ao não passar a bola para Elton, que estava livre num contra-ataque. Depois, ao cair na provocação de Osmar.

Os dois se embolaram e caíram fora de campo, na lateral. O jogador do Vila Nova pôs a mão no rosto do vascaíno, que revidou com uma tentativa de cotovelada. Recebeu o cartão vermelho do árbitro Salvio Spínola e deixou o Vasco com um a menos, com 83 minutos de jogo pela frente. Esta foi a quinta expulsão da equipe em 11 rodadas da Série B.

O time goiano, que já tomara a iniciativa da partida, continuou com mais posse de bola, explorando as jogadas pelas pontas. O Vasco, no entanto, voltou a demonstrar segurança na defesa e não foi ameaçado. O problema era na saída para o ataque. A bola quase não parava no meio-campo, e os jogadores abusavam de lançamentos para o ataque, sem sucesso.

Aos 24 minutos, Elton fez boa jogada individual pela esquerda, mas teve seu passe interceptado por Cocito. O lance não levou muito perigo ao gol de Juninho, mas foi um divisor de águas para o Vasco no primeiro tempo. A partir dele, o time passou a tocar a bola no campo de ataque, até chegar ao gol de Fágner.

O lance se originou de uma falta duríssima de Cocito em Elton - não seria exagero se o árbitro mostrasse o segundo vermelho do jogo. Fágner cobrou a falta, pela lateral esquerda, diretamente para o gol. A bola encobriu o goleiro do Vila Nova e morreu no ângulo: 1 a 0, aos 28 minutos.

No resto do primeiro tempo, o Vasco voltou a recuar, mas ainda sem levar susto. Fernando Prass fez sua primeira defesa na partida aos 42 minutos, e ainda assim numa cabeçada despretensiosa. Na saída para o intervalo, Fágner admitiu que o gol foi sem querer: "A intenção foi cruzar mesmo".

Fágner e Fernando Prass se destacam

O Vila Nova voltou para o segundo tempo com uma substituição ousada, com Vanderlei no lugar de Cocito. E foi o atacante que protagonizou o primeiro lance de perigo dos 45 minutos finais, numa cabeçada forte que obrigou Fernando Prass a fazer bela defesa, espalmando para escanteio.

O Vasco confiava na sua defesa e se manteve atrás, esperando o adversário e saindo em contra-ataques. A melhor saída era com Fágner, pela direita. Aos 11 minutos, ele deu um drible da vaca num adversário e deu bom passe para Nilton. No entanto, o volante dominou mal a bola, deixando-a mais para o goleiro.

Na tentativa de dar mais liberdade a Fágner, Dorival Júnior pôs Paulo Sérgio em campo, para ocupar a lateral direita. Ele entrou no lugar de Alex Teixeira, ao mesmo tempo em que Enrico substituiu Souza.

Aos 20 minutos, veio a jogada fundamental para o resultado da partida. Fernando Prass fez uma defesa espetacular numa cabeçada, após desatenção da defesa vascaína. No rebote, Vanderlei perdeu chance inacreditável, cabeceando no travessão, de cara para o gol.

Três minutos depois, o Vasco fez 2 a 0, explorando uma jogada criada com a substituição de Dorival Júnior. Fágner acertou bom lançamento para Paulo Sérgio, que também caprichou no cruzamento. Elton deslocou Juninho com sua cabeçada e marcou.

O gol serviu como uma ducha de água fria para as pretensões do Vila Nova, que continuou explorando as bolas levantadas na área e as cabeçadas de Vanderlei. E o Vasco perdeu Fágner, com uma fisgada na coxa esquerda, sendo substituído por Magno.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]