i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
olimpíada

Preocupada com futuro, canoagem brasileira forma time para 2024

  • PorMarcos Xavier Vicente
  • 24/01/2016 18:48
Crianças aprendem canoagem no Parque Náutico de Curitiba. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Crianças aprendem canoagem no Parque Náutico de Curitiba.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

2015 foi o melhor ano da canoagem brasileira, mas ligou o alerta para o futuro. De um lado, a comemoração pelos dois ouros no Mundial de Milão, na Itália, ambos com Isaquias Queiroz – esperança de pódio na Olimpíada Rio-2016 –, nas provas de canoa C1 200m e C2 1.000m, junto com Erlon Souza. Do outro, a frustração pelo baixo quórum da base no Campeonato Brasileiro. No caiaque feminino, por exemplo, eram somente quatro competidoras na categoria cadete (15 a 16 anos).

RIO-2016: Acompanhe as notícias sobre a Olimpíada

Para evitar um vácuo na formação de talentos justamente no ápice da modalidade no país, a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) iniciou semana passada o Programa Canoagem Brasileira 2024, que reúne os 16 melhores canoístas do Brasil entre 11 e 16 anos. O objetivo do projeto, que tem apoio do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Exército e patrocinadores da CBCa, é fortalecer a formação de atleta desses meninos em seus clubes e na própria seleção para que cheguem em alto nível à Olimpíada de 2024.

“Temos a chance de conquistar a primeira medalha olímpica da canoagem em 2016, mas nossa base está enfraquecida”, enfatiza Alvaro Koslowski, supervisor da canoagem de velocidade da CBCa e coordenador do programa. “Queremos que o legado da Rio-2016 não seja só medalha, mas a formação de mais atletas”, reforça o dirigente, que participou da primeira equipe do Brasil em Barcelona-92.

Técnico Figueroa Conceição Souza ensina canoagem para crianças.Albari Rosa/Gazeta do Povo

Os oito meninos e oito meninas de seis estados farão quatro estágios na base da CBCa no Parque Náutico do Iguaçu, no bairro Boqueirão, em Curitiba. Lá, terão contato com a equipe que se prepara para o classificatório da Rio-2016. “O objetivo é que esses meninos entendam a rotina de um atleta de alto rendimento, ainda mais em um período olímpico”, explica Koslowski. Além dos treinos, a equipe passará por avaliações médicas, físicas e técnicas.

O programa também dará suporte aos clubes nos sistemas de treinamentos, na estrutura e na gestão da base. A Canoagem Brasileira 2024 ainda pretende ampliar o número de competições nacionais de base. A equipe também participará do torneio Esperanças Olímpicas em 2017, em Portugal, que reúne jovens de diversos países.

Paranaense

O paranaense João Vitor Barbosa, 14 anos, é uma das apostas do programa. João começou a treinar em 2012, após ver um cartaz na escola. Gostou tanto que, quando não vai de carona na moto com o professor, percorre 26 km de bicicleta ida e volta para treinar na represa de Ribeirão Claro, no Norte Pioneiro, onde mora.

Atual campeão brasileiro de canoa C1 na categoria menor (13 a 14 anos) e fã do alemão Sebastian Brendel, ouro na prova C1 1.000m na Olimpíada de Londres-2012, João já sente evolução de sua técnica no programa. “Aprendi a girar melhor o tronco na remada e a firmar mais a perna. Quero evoluir até chegar na Olimpíada”, revela o garoto.

João Vitor Barbosa, 14 anos, é uma das apostas do programa de novos talentos da canoagem brasileira.Albari Rosa/Gazeta do Povo

Pela observação inicial, João tem potencial. “Ele chamou a atenção por pegar rápido os movimentos”, aponta o técnico do projeto e da seleção olímpica Figueroa Conceição Souza que, com o currículo de quem descobriu em 2005 Isaquias Queiroz na pequena cidade de Ubaitaba, na Bahia, acredita que desse grupo sairão novos campeões mundiais. “Podem me cobrar daqui uns anos”, confia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.