Instalações do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), no Rio, que fará o antidoping na Rio-2016. | Roberto Castro/Ministério do Esporte
Instalações do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), no Rio, que fará o antidoping na Rio-2016.| Foto: Roberto Castro/Ministério do Esporte

O LBCD (Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem), que recebeu nesta quarta-feira (13) certificação da Wada (Agência Mundial Antidoping) para voltar a realizar exames, foi totalmente reformado graças a um investimento de R$ 188 milhões do governo federal.

Do total, o Ministério do Esporte bancou R$ 160 milhões e o Ministério da Educação, R$ 28 milhões. Os desembolsos cobriram a construção de um novo prédio para instalá-lo e a compra de equipamentos.

A base do laboratório, que conduzirá os testes antidoping dos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e de seus eventos-teste, pertence ao Instituto de Química da UFRJ (Universidade Federal do Rio) e se situa dentro da instituição. O laboratório faz controles de doping desde 1989.

As obras com recursos federais começaram em 2013, seis meses antes que o LBCD (mais conhecido anteriormente como Ladetec, do qual faz parte) fosse descredenciado pela Wada por ter apresentado inconformidades em sucessivos testes enviados pela agência mundial.

O LBCD tinha certificação da entidade máxima do combate ao doping internacional desde 2002, e a perdeu em agosto de 2013. Desde então, não pôde mais fazer exames válidos para a Wada.

De acordo com o Ministério do Esporte, o equipamento à época estava defasado. Os novos aparatos, quase todos importados, já estão à disposição dos técnicos. Um pequena parcela será entregue em 2016, antes dos Jogos do Rio.

O processo de recredenciamento do laboratório teve início em agosto do ano passado, com a análise de testes enviados pela Wada e visitas técnicas. Em março passado, peritos da Wada estiveram novamente no país para a última avaliação. Na mesma visita, concederam ao LBCD aval para análise de sangue para compor o passaporte biológico de atletas.

A liberação geral para voltar a conduzir testes ocorreu nesta quarta (13), em reunião do conselho de fundadores da Wada, em Montréal, no Canadá. O ministro George Hilton (Esporte) e o secretário nacional para a ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) estiveram presentes à solenidade.

Ao todo, até a decisão desta quarta havia 32 laboratórios acreditados pela Wada para realizar investigações antidoping.

Durante os Jogos do Rio, a expectativa é de que sejam feitos entre 5.000 e 6.000 exames antidoping, na maioria de sangue e urina. O LBCD também será a instalação oficial de verificação de análises dos Jogos Paraolímpicos.

Pelo fato de o LBCD não estar credenciado durante a Copa do Mundo da Fifa, em 2014, os exames antidoping da competição foram encaminhados para análise em Lausanne, na Suíça.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]