| Divulgação
| Foto: Divulgação

Com ideia na cabeça de desvendar os mistérios e cultura do continente americano, dois amigos embarcaram numa viagem de carro, que começou no dia 7 janeiro de 2009, em Orlando, nos Estados Unidos, passou por 14 países e terminou em Curitiba, na última quarta-feira, 18 de fevereiro. Em 41 dias de estrada, eles percorreram 22 mil km e tiveram contato diário com a "hospitalidade do povo latino". É assim Valdecir Tecchio descreveu as características marcantes encontradas durante a aventura, em entrevista, por telefone, à Gazeta do Povo Online. "Cada país tem suas peculiaridades. Quando estudamos nos livros essa diferença não fica evidente. Só quem vê de perto entende".

Mestrando em ciências políticas, ele reside nos Estados Unidos há 12 anos, onde vive com a esposa e os filhos. O estudo detalhado da América Latina o motivou para fazer o "passeio continental". Restava achar um parceiro de viagem. "Eu achava arriscado demais levar a família. Pelo que pesquisei, as condições das estradas pareciam perigosas, e, por isso, precisava de um parceiro". O companheiro de aventura apareceu e estava bem próximo dele. Era o londrinense, que também reside nos EUA, Alessandro Victorelli. "A partir disse resolvemos pôr em prática o sonho".

Para isso, a dupla investiu pesado. Gastaram US$ 12 mil num carro preparado para terrenos irregulares, um Toureg, e mais US$ 10 mil com estadia em hotéis e alimentação. "Não encontramos as estradas complicadas como imaginamos, foi tudo tranquilo. Nem precisávamos de um carro com tração nas quatro rodas para a viagem", lembrou Tecchio, que também é empresário do ramo da construção civil.

Com uma média diária de 400 km percorridos, os dois paranaenses se revezavam no volante e fizeram o percurso praticamente todo à luz do dia. "Foi tudo muito tranquilo. No entanto, tivemos problema na fronteira no Panamá com a Colômbia , pois lá não havia estradas e tivemos de atravessar por via marítima. É um lugar denominado ´Tampão Darin´ que não tem rodovias. Dizem lá que é uma imposição dos Estados Unidos para evitar a imigração por terra", explicou Tecchio.

O empresário esclarece algumas precauções para quem deseja "desbravar" o continente americano. Segundo ele, documentação como passaportes, identidades e habilitações precisam ser levadas em várias cópias. Além de dinheiro em espécie para evitar surpresas. "Nas regiões de fronteiras, eles pedem documentos para ficar retido. Se você não leva as cópias terá de pagar caro por elas. O dinheiro sempre é bom ter de reserva, pois nem sempre se aceita os cartões de crédito".

Depois do sucesso da primeira viagem, Valdecir Tecchio quer publicar em livro um guia de aventura. Para 2010, ele planeja uma viagem intercontinental: partir dos Estados Unidos e encerrar na China. Para saber mais sobre a viagem pela América de Valdecir Tecchio e Alessandro Victorelli visite o blog www.americanmission2009.blogspot.com.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]