Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O destino do atacante Marcos Aurélio será definido nesta sexta-feira (19), no Tribunal Regional do Trabalho de Curitiba. Será realizada uma audiência de conciliação entre o atacante e o Atlético, a partir das 9h30, na 11ª Vara do Trabalho. Caso não haja o acerto entre as partes, o que é muito provável, logo na seqüência a juíza fará a instrução e julgamento do processo e vai definir se o atacante continua no Atlético ou vai para o Santos.

"Deve ser definido nesta sexta, só se por alguma situação a juíza suspender a audiência", afirmou o advogado do jogador, Fernando Barrionuevo. De acordo com a defesa do atacante, ficou combinado que se o Atlético quisesse renovar o contrato com o jogador deveria fechar todas as condições contratuais estabelecidas pela Lei Pelé e ainda assim com o consentimento do jogador para a renovação.

"A redação do contrato feito pelo Atlético ficou errônea e dá a interpretação que Marcos Aurélio teria que assinar contrato de qualquer forma, mesmo sem ele querer. O Atlético tentou o acordo com o jogador, como não houve acerto foi procurar a justiça", explicou Barrionuevo.

Segundo o advogado, quando acabou o contrato de empréstimo com o Atlético, Marcos Aurélio voltou para o Bragantino e pagou uma cláusula para quebrar o vínculo com o time paulista. Com o pagamento da multa de R$ 650 mil para Bragantino o jogador acertou com o Santos.

"Ele é funcionário do Santos, a Federação Paulista recebeu e acatou a transferência. No entanto, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não deixa o atleta jogar pelo Santos por causa dessa pendência na justiça", concluiu o advogado.

O outro lado

De acordo com o diretor jurídico do Atlético, o advogado Marcos Malucelli, a expectativa do Furacão é que o atleta cumpra o que foi combinado. "Quando foi assinado o contrato de empréstimo com o Bragantino (de abril a dezembro de 2006), ficou garantido que caso o Atlético quisesse adquirir 50% dos direitos federativos do atleta, até o dia 31 de dezembro deveria comunicar o Bragantino e pagar a multa de R$ 450 mil. Com isso, o jogador teria que assinar contrato por mais 3 anos com o Atlético", explicou Malucelli.

"Isso ficou assinado pelo jogador, pelo representante do jogador e pelo Bragantino. Tenho como provar isso, está no contrato para quem quiser ver", completou. Segundo o advogado, quando o Atlético resolveu exercer o direito de compra dos direitos federativos ficou decidido que o Rubro-Negro teria que pagar R$ 450 mil ao Bragantino, em quatro parcelas.

"No dia 15 de dezembro depositamos a primeira parcela, no valor de R$ 112,5 mil. Agora no dia 13 de janeiro pagamos a segunda parcela, também de R$ 112,5 mil. O restante do pagamento será feito em 30 e 60 dias. Como nós cumprimos a nossa parte do contrato, mas o jogador não se apresentou ao Atlético, o juiz nos deu a garantia que o atleta ficaria no clube", afirmou Malucelli.

Caso o jogador vá para outro clube o Atlético receberá uma multa rescisória de R$ 6,5 milhões. Como o Furacão fez os depósitos em juízo, caso Marcos Aurélio consiga a vitória nos tribunais nesta sexta, o dinheiro será devolvido para o Atlético. Porém, se o Rubro-Negro for o vencedor o juiz também estipulou uma multa diária de R$ 5 mil ao atleta pelos dias em que deveria ter se apresentado no CT da Caju e não apareceu.

"Se ele não quiser ficar no Atlético, como já ficou claro, pois já assinou contrato com o Santos, que cumpra o que foi combinado e pague a multa. Não podemos ficar com um jogador insatisfeito no clube. O Marcos Aurélio precisa fazer a parte dele", definiu o diretor jurídico.

Reforços

Após a primeira derrota no Estadual, a diretoria atleticana resolveu apresentar oficialmente os reforços Nei, lateral-direito, e Ramon, meio-campo. Os jogadores estavam desde o início do mês treinando no CT do Caju, mas somente agora posaram com as camisas do Furacão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]