Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Claro e Huawei testam 5G para o agronegócio e apresentam as vantagens da tecnologia
| Foto: Pablo Regino

Os testes da tecnologia de comunicação de quinta geração para redes móveis, o 5G, começaram oficialmente nesta quinta-feira (2). O trabalho, com duração de um ano, é realizado pela chinesa Huawei, em parceria com a operadora de telefonia Claro e o Governo do Estado de Goiás. O objetivo da iniciativa é alavancar a produtividade e economia no campo por meio das facilidades que o 5G proporciona. Será a primeira vez que a conexão é utilizada no Brasil com foco no desenvolvimento da agricultura.

Na prática, segundo os especialistas, a partir da maior capacidade de compartilhamento de dados ofertada pelo 5G é possível captar e processar imagens com mais rapidez e qualidade, proporcionando uma análise em tempo real do plantio. A rede que será utilizada para os testes foi instalada em uma propriedade rural em Rio Verde, centro-oeste do país.

Com uma capacidade de conexão extremamente veloz, o produtor rural pode realizar a checagem da lavoura, prever qual a possibilidades de incidência de pragas além de verificar a falta de nutrientes no solo, por meio de equipamentos como drones e veículos autônomos operados a distância. O sistema promete acelerar a coleta de dados e alavancar a produtividade. A rede será testada em parceria com o Instituto Federal de Goiás, o Centro de Excelência em Inteligência Artificial (CEIA) e a Universidade Federal de Goiás (UFG).

O presidente da Huawei Brasil, Sun Baocheng, destaca que a eficiência do país na agricultura, aliada à tecnologia, nos coloca um passo à frente. “Acredito que as principais tecnologias como inteligência artificial e nuvem podem trazer mais eficiência e qualidade, essa é uma das razões de inaugurar o que hoje chamamos de agricultura do futuro. Como sempre dizemos, a melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”, diz.

Eduardo Polidoro, diretor de Internet das Coisas da Claro, enfatiza que o avanço é significativo para levar tecnologia e velocidade ao campo. “Temos soluções abrangentes que podem levar valor agregado ao produtor. Podemos levar soluções para outros setores e outros tipos de culturas que vão engrandecer a qualidade do agronegócio no Brasil e no mundo”, ressalta.

Em testes desde julho deste ano, o 5G conta com diversas potências que podem chegar a 12 vezes a velocidade de um 4G comum. “Esta frequência está operando em licenciamento temporário. Após o leilão o objetivo é atuar com a tecnologia em todo o país”, prevê o diretor da Claro.

A tecnologia 5G potencializa eficiência dos drones. Foto: Pablo Regino.
A tecnologia 5G potencializa eficiência dos drones. Foto: Pablo Regino.

Outros testes

A conexão 5G está em testes em 12 cidades brasileiras, como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Curitiba. Segundo a Claro, o objetivo até o final e 2020 é que mais sete cidades entrem em testes para a utilização da conexão, a localidade das mesmas não foi informada. A tecnologia deve ser popularizada apenas a partir de um leilão realizado pela Agencia Nacional de Telecomunicações (Anatel), previsto para 2021. O diferencial desta experimentação realizada em Rio Verde é a aplicabilidade, voltada apenas para a agricultura.

Segundo Adriano da Rocha Lima, secretário-chefe Geral da Governadoria do Estado de Goiás, o teste é importante para quando a tecnologia estiver disponível efetivamente no Brasil, o estado sairá na frente no desenvolvimento tecnológico, ampliando o raio de cobertura para todos os goianos. “A expectativa é que quando o leilão seja realizado, a tecnologia possa ser implementada em todo o Estado de Goiás”, afirma o secretário.

Possibilidades do 5G no campo

A tecnologia do 5G testada em Goiás é dividida em três pilares: conectividade, transferência de dados e processamento em nuvem utilizando inteligência artificial. O 5G permite um gerenciamento integrado com alta velocidade de transmissão de dados.

Segundo os especialistas, entre as facilidades que a tecnologia permite estão detecção de pragas e doenças, predição de aplicação de fertilizantes e pesticidas, diminuição do tempo de plantio, redução do uso de agrotóxicos em até 90%, por meio da otimização e direcionamento, de acordo com a necessidade de cada cultivo. Chamado de Smart Rover, o veículo autônomo reconhece percursos, utilizando sensores para a coleta de dados do ambiente e monitoramento em tempo real.

 O veículo não tripulado, chamado de Smart Rover, coleta imagens das lavouras analisa e faz a predição das ações que o agricultor deve tomar em sua cultura. Foto: Pablo Regino.
O veículo não tripulado, chamado de Smart Rover, coleta imagens das lavouras analisa e faz a predição das ações que o agricultor deve tomar em sua cultura. Foto: Pablo Regino.

Outra tecnologia apresentada é um drone que pode sobrevoar a área da propriedade e enviar em tempo real para uma nuvem de processamento, identificando quais áreas têm pragas ou verificar a qualidade do solo. Sem a conexão 5G, o profissional precisa ir até a propriedade, coletar imagens, analisá-las e processá-las em um processo mais custoso e demorado.

Abertura de Centro de Excelência em Agricultura

Para viabilizar a implementação e os testes das novas tecnologias, a prefeitura de Rio Verde inaugurou também o Centro de Excelência em Agricultura Exponencial (Ceagre), que vai operar as tecnologias voltadas para o 5G na propriedade em que a conectividade está instalada, assim como desenvolver estudos voltados para a utilização da conexão 5G na agricultura.

4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]