Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Curitiba está entre as cidades mais inteligentes do mundo
Curitiba está entre as cidades mais inteligentes do mundo| Foto: Big Stock, Paulo Vilela/Reprodução

As comunidades inteligentes podem ser pequenas regiões ou grandes municípios e centros urbanos que encontram, em seu dia a dia, novas maneiras de gerir recursos naturais e populacionais a partir do uso de tecnologias avançadas. Elas promovem conectividade entre pessoas e sistemas e seguem a premissa de que inovação e tecnologia são a chave para um desenvolvimento inteligente e sustentável.

O prêmio internacional Comunidade Inteligente do Ano, promovido pela organização Intelligent Community Forum (ICF), classificou as sete principais comunidades inteligentes do mundo e que representam modelos de transformação econômica e social. A ideia, segundo o ICF, é reconhecer municípios com as “melhores práticas em implantação e uso de banda larga, desenvolvimento de força de trabalho, inovação, inclusão digital e defesa que oferecem lições para regiões, cidades, vilas e aldeias em todo o mundo”.

Curitiba é a única representante da América Latina, graças ao seu planejamento urbano e conectividade. Veja abaixo o ranking com as sete cidades destacadas pelo ICF e entenda por que elas são consideradas comunidades inteligentes.

Binh Duong Smart City, Vietnã

Por que está no ranking: A província de Binh Duong, uma cidade ainda em construção, usa alta tecnologia para transformar uma região tradicionalmente agrária no novo coração econômico do Vietnã. O ICF destaca a criação de uma universidade local, seis parques industriais, uma incubadora de pequenos negócios, uma série de laboratórios voltados à inovação e tecnologia e uma rede de wi-fi pública e aberta a todos. O propósito é criar uma cidade ambientalmente correta e moderna.

Curitiba, Brasil

Por que está no ranking: Segundo o ICF, a cidade paranaense tem destaque no ranking graças ao seu planejamento urbano que valoriza espaços verdes – apesar de representar uma área industrial que também é berço de mais de 3,5 mil empresas. A criação de aplicativos online que oferecem aos moradores da cidade informações e prestação de serviços também é um diferencial da capital frente a outras comunidades inteligentes do mundo, junto ao acesso aberto à internet móvel em toda a cidade. Na frente inovativa, Curitiba pode ser considerada uma comunidade inteligente, de acordo com o ICF, graças a sua força de trabalho tecnológica e um PIB per capita 86% superior à média nacional. A atuação junto a startups, a criação do ecossistema de inovação do Vale do Pinhão e a oferta de energia limpa na malha de transportes também justificam a presença da cidade no ranking.

Langley Township, Canadá

Por que está no ranking: Os esforços educacionais dedicados à formação profissional de jovens por meio de estágios e workshops com empresários locais colocam Langley em terceiro lugar no ranking das principais comunidades inteligentes do mundo. A conexão com empresas locais também se dá em programas de recrutamento e treinamento profissional. Por fim, o município firmou um acordo que garante equidade na competitividade no setor de telecomunicações, reduzindo burocracias e aumentando a oferta de serviços de qualidade para a população.

Mississauga, Canadá

Por que está no ranking: A cidade é, em sua essência, um centro tecnológico e de negócios. O grande diferencial está em um sistema tecnológico na nuvem que conecta cidadãos aos serviços públicos. Além disso, Mississauga também conta com um programa gratuito de digitalização de pequenas empresas, auxiliando-as a migrar para o online. Na frente educacional, a cidade criou o programa “Building Skilled Talent Together Program”, de capacitação para alunos que desejam desenvolver as habilidades mais requisitadas pelas empresas. Também promove a interação constante entre universidades locais e empresas, a fim de garantir que o que tem sido ensinado em sala de aula atende de fato ao que se é pedido pelo novo contexto empresarial.

Moscou, Rússia

Por que está no ranking: A economia colaborativa da cidade responsável por mais de 20% do PIB da Rússia levou Moscou a ser eleita como uma das sete principais comunidades inteligentes do mundo. O destaque está na presença de instituições que apoiam o desenvolvimento tecnológico, como os 26 parques nos arredores da cidade, responsáveis por abrigar mais de 1,3 mil empresas de tecnologia. A inclinação para o empreendedorismo também é uma característica notável da cidade. Em Moscou, universidades, empresas e instituições científicas estimulam a existência de programas de apoio a pequenos negócios, responsáveis pela oferta de serviços a mais de 19 mil empreendedores locais. Além do empreendedorismo, há a educação profissional desde a ponta: em 2017, 96% das escolas de Moscou já implementaram pelo menos 3 programas profissionalizantes.

Townsville, Austrália

Por que está no ranking: Em Townsville há um grande incentivo ao empreendedorismo. Por lá, o ecossistema é formado por eventos de treinamento e conexão. Uma política de concessão para estimular o desenvolvimento de pequenas empresas inovadoras também existe com o objetivo central de criar uma indústria sustentável. Assim como em Curitiba, há também conectividade em toda a cidade, fruto de uma parceria com uma empresa de tecnologia. Um exemplo dessa conectividade está em um banco de dados público sobre os recursos hídricos da cidade.

Winnipeg, Canadá

Por que está no ranking: O argumento central para que Winnipeg, no Canadá, seja considerada uma comunidade inteligente está no bom relacionamento entre educação e desenvolvimento empresarial. Faculdades comunitárias e universidades são conectadas a empregadores locais, gerando novos produtos e empregos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]