Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
App que melhora produção de pequenos agricultores vence prêmio da IBM
Time vencedor do Call for Code 2020, promovido pela IBM, foi composto por integrantes do Brasil, Mongólia, Índia e Taiwan.| Foto: Divulgação/Agrolly

“Países desenvolvidos com uma boa tecnologia agrícola tiveram uma redução de mais de 17% na produção em decorrência das mudanças climáticas nos últimos anos. O impacto em países emergentes é muito mais acentuado, em razão da precariedade de recursos, tecnologia e informação, e justamente para aqueles que dependem muito da produção agrícola para sua subsistência”. A explicação é de Manoela Morais, engenheira química e uma das idealizadoras do aplicativo Agrolly — desenvolvido justamente para levar tecnologia a pequenos agricultores de forma a melhorar sua produção e produtividade através de informações climáticas.

O app foi o campeão do desafio Call for Code 2020, promovido pela IBM, que tem como objetivo criar aplicativos com tecnologia de código aberto para melhorar problemas globais voltados ao meio ambiente. A equipe da brasileira foi a selecionada entre mais de 400 mil pessoas de 179 países para receber US$ 200 mil e um suporte da IBM e da The Linux Foundation para incubar e desenvolver o projeto de forma que ele seja escalável para diferentes regiões do mundo.

A Agrolly oferece três ferramentas: informações climáticas a longo prazo – tais como previsão e histórico de tempo e chuva, mesmo para cidades pequenas; cálculos personalizados de irrigação com base em variáveis como localização, tipo de cultura e estágio de crescimento; e um fórum online que permite a interação entre agricultores, agrônomos e órgãos governamentais.

aplicativo agrolly ajuda pequenos agricultores a melhorar produtividade
Versão em português está disponível para testes para agricultores do Paraná e da Bahia.| Divulgação / Agrolly

A ideia do app nasceu antes da competição, durante o mestrado de Morais em Gestão de Risco Financeiro na Pace University, em Nova York. Lá, ela conheceu sua colega de equipe Chimka Munkhbayar, nascida na Mongólia, que tinha a ideia de ajudar pequenos agricultores de seu país através da tecnologia.

“Nós fizemos entrevistas de campo com pequenos agricultores para descobrir quais dificuldades eles tinham. Ela enxergou uma oportunidade nessa área — e só então veio o casamento com o Call for Code, apartir do qual a gente começou a formatar [o projeto]”, conta a CEO. Além de Morais e Munkhbayar, a equipe vencedora integra Ajinkya Vilasrao Datalkar, da Índia, e Helen Tsai, de Taiwan.

Internacionalização da Agrolly

Apesar de ter sido criado e testado originalmente com foco em agricultores da Mongólia, a ferramenta já realiza testes no Brasil, a princípio em cidades do Paraná e da Bahia. Segundo Morais, o Paraná foi uma escolha estratégica da equipe por duas razões:

"Resolvemos iniciar o piloto no estado por causa da força da agricultura familiar no Paraná. Além disso, conseguimos rapidamente fechar parcerias com faculdades e instituições estratégicas", explica Morais.

Já na Bahia, a expansão se deu por acaso: em apenas um dia 256 produtores solicitaram cadastro no aplicativo, e a equipe decidiu inclui-los nos testes.

Visita da equipe da Agrolly a Bayankhongor, na Mongólia, durante elaboração do aplicativo.
Visita da equipe da Agrolly a Bayankhongor, na Mongólia, durante elaboração do aplicativo.| Divulgação / Agrolly

No momento, o projeto está em fase de implementação, cadastrando agricultores interessados em testar o app. "Nosso maior objetivo é identificar o que eles precisam. A gente mostra o aplicativo, ensina como utilizar e recebe feedbacks", relata a CEO. Até o final do ano, a expectativa do time é possibilitar trocas de produtos e ferramentas entre agricultores e construir, junto dos usuários, novas funcionalidades para o app.

"Queremos criar um ecossistema de agricultores de forma a ajudá-los a melhorar o planejamento de sua produção. Para isso, vamos usar todas as ferramentas e tecnologias para muni-los de informações, garantindo essa produtividade e mitigando os efeitos das mudanças climáticas".

Para 2020, o time pretende se fortalecer no Brasil. Posteriormente, a expectativa é de expandir para outros países asiáticos emergentes.

Código aberto pelo meio ambiente

Carla Coelho, vice-presidente da IBM Digital Sales América Latina, aponta que o código aberto — ou seja, código de um software que está disponível para download por qualquer pessoa e uma das premissas do Call for Code — permite criar soluções que funcionam localmente e podem ser escaladas com velocidade para ajudar qualquer comunidade em qualquer lugar.

Ela aponta que, em estudo recente da IBM realizado pelo Morning Consult que entrevistou mais de três mil desenvolvedores, socorristas e ativistas sociais ao redor do mundo, 77% dos profissionais concordam que a mudança climática é o problema mais urgente que enfrenta sua geração — e, entre os ativistas, o número sobe para 83%. “O Call for Code foi criado para abordar os problemas mais urgentes da sociedade, convocando os mais de 24 milhões de  desenvolvedores do mundo a tomar ação usando tecnologias de código aberto para ajudar as comunidades”, ressalta.

Nesse contexto, Coelho destaca que a solução proposta pela Agrolly endossa a importância da democratização do acesso à tecnologia.

“Agricultores de grande escala têm acesso a recursos que os agricultores de pequena escala ainda não têm. Muitos pequenos agricultores nessas regiões consideram a produção de suas safras como um recurso crítico para eles próprios e suas comunidades, mas têm acesso limitado a tecnologias ou técnicas inovadoras para ajudá-los a se adaptar.

O aplicativo da Agrolly está desenhado para ir além das soluções existentes, para apoiar e conectar pequenos agricultores em todo o mundo, particularmente em países emergentes, onde as fazendas estão sofrendo de falta de apoio e colheita reduzida pela mudança climática”, aponta.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]