Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Loft entra para o time dos unicórnios. Foto: Divulgação/Loft
Loft entra para o time dos unicórnios. Foto: Divulgação/Loft| Foto:

O ano mal começou e o Brasil já tem um novo unicórnio: a Loft, startup paulistana de compra e venda de imóveis, fundada em agosto de 2018. Após receber um aporte de US$ 175 milhões dos fundos Andreessen Horowitz, Fifth Wall Ventures e Vulcan Capital, a empresa atingiu valor de mercado de US$ 1 bilhão.

A startup, que promete simplificar o processo de compra e venda de apartamentos, foi fundada pelo húngaro Mate Pencz e pelo alemão Florian Hagenbuch, empresários que criaram a gráfica online Printi em 2012 e venderam o negócio cinco anos depois.

De acordo com Pencz, o dinheiro recém captado será alocado na expansão geográfica da empresa no Brasil e no exterior, começando pelo Rio de Janeiro, no primeiro trimestre do ano, chegando até a Cidade do México — primeira operação internacional da empresa —, no final do primeiro semestre. Operar em Curitiba faz parte dos planos da startup, mas ainda não há prazo para os serviços chegarem à capital paranaense. “Também vamos investir em produtos financeiros para os clientes, como financiamento imobiliário, home equity e seguros para compradores de imóveis”, adiantou o executivo.

Logo que foi lançada, a Loft trabalhava apenas com imóveis de aproximadamente R$ 1 milhão, localizados em bairros nobres da capital paulista, como Jardim Paulista e Itaim Bibi. Hoje, a empresa atua em 16 bairros de São Paulo e comercializa imóveis de diferentes categorias imóveis, até quitinetes.

Recuperação

Além dos bons ventos do mercado de venture capital, a Loft tem a favor dela a recuperação da construção civil, setor que deve ter fechado 2019 com crescimento de 2%, em relação a 2018, e tem previsão de encerrar o ano com avanço de 3%, ante 2019, segundo o SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo).

“Não esperávamos que o setor imobiliário iria se recuperar agora, mas estamos otimistas com a queda de juros, já que ela favorece o financiamento imobiliário e aumenta a quantidade de pessoas que conseguem dar um upgrade na moradia”, avalia o húngaro.

Para dar conta de um crescimento de 10 vezes em 2019, a startup deve ampliar seu time de 430 para 500 funcionários no primeiro trimestre.  “Temos capacidade para dobrar a equipe em São José dos Campos, que é dedicada à tecnologia e dados, por conta da proximidade com o ITA (Instituto Tecnológica de Aeronáutica)”, detalhou.

>>> Startup chilena usa algoritmo para criar hambúrguer
>>> Volume de pagamentos por aproximação cresce
>>> Nove startups de sucesso revelam planos para 2020

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]