i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Distrito Federal testa equipamento que mede temperatura das pessoas no metrô

  • PorEstadão Conteúdo
  • Agência Estado
  • 07/06/2020 08:00
Distrito Federal testa equipamento que mede temperatura das pessoas no metrô
| Foto: Reprodução/ Governo do DF

O governo do Distrito Federal testa um equipamento que verifica automaticamente a temperatura corporal das pessoas na entrada do estação do Metrô na rodoviária de Brasília, no centro da capital. Os passageiros com febre, um dos sintomas da doença, são abordados por profissionais de saúde e submetidos a teste rápido de coronavírus.

A tecnologia é chinesa e tem a capacidade de fazer a análise termal de 30 pessoas a cada segundo. Os resultados são apresentados em uma tela, de modo que qualquer transeunte pode verificar a própria situação.

As leituras são feitas por duas câmeras colocadas nos portões de embarque e desembarque do metrô. Essas câmeras também são capazes de identificar passageiros sem máscara de proteção facial. O acessório é de uso obrigatório no Distrito Federal, sob pena de multa de R$ 2 mil.

A tecnologia foi cedida por uma empresa ao governo distrital, sem custos, para um período de testes. Os equipamentos, instalados na segunda-feira, 1º, deverão permanecer fazendo as medições por até 30 dias. Um outro kit também foi instalado no Palácio do Buriti, sede do governo local.

Chefe da Unidade de Administração da Rodoviária e Área Central de Brasília, José Martins de Oliveira disse que após a fase de experimentos o governo vai avaliar o custo benefício da tecnologia. Cada câmera, com os respectivos acessórios, pode custar pelo menos R$ 60 mil.

"A vantagem é que ela denuncia quem não está com máscara e evita aglomerações, ao permitir a leitura das temperaturas a distância", disse Oliveira. Cerca de 350 mil pessoas passam diariamente pela rodoviária, mesmo com a pandemia. Antes da crise sanitária, o movimento era duas vezes maior.

Presidente da Setec, a empresa que cedeu os equipamentos ao governo local, Agenor Chaves Neto disse que a tecnologia tem sido demandada por empresas, comércios e igrejas. "Não dá para designar uma pessoa para ficar fazendo medições individuais", comentou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.