Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Investo recebe aporte e prepara lançamento de ETFs
Silvio Junqueira, Gabriel Lansac, Mariana Monteiro e Cauê Mançanares, da Investo.| Foto: Investo/Divulgação

A fintech Investo, especializada em ETFs (Exchange Traded Funds), anunciou um aporte de R$ 15 milhões em rodada seed. O investimento, levantado por investidores-anjo do ecossistema de Harvard (EUA), permitirá impulsionar a infraestrutura da operação, que deverá ser lançada no Brasil nas próximas semanas.

A Investo foi fundada em março de 2020 pelos brasileiros Cauê Mançanares, Silvio Junqueira e Gabriel Lansac. A proposta do negócio surgiu quando Mançanares cursava um MBA na Harvard Business School, entre os anos de 2017 e 2019, e percebeu a oportunidade que as ETFs poderiam representar para os investidores brasileiros.

"Vemos um apetite muito grande do brasileiro por produto de Bolsa e, sobretudo, por diversificação internacional. É nessa oportunidade que estamos mirando”, explica Mançanares sobre o foco de atuação da Investo.

O objetivo da fintech é transformar o brasileiro em um investidor internacional. Com os ETFs – fundos de investimento que são negociados em bolsa e representam empresas internacionais, com valores de investimento a partir de R$10 –, o investidor tem acesso a uma rede diversificada de ações de renda variável, com aplicação mínima baixa.

O projeto da Investo conquistou o primeiro lugar, entre 93 propostas, em uma disputa interna da disciplina em Harvard. A validação por especialistas em investimentos e finanças de uma das maiores escolas de negócios do mundo foi fundamental para a consolidação do modelo de negócio. De lá para cá, Mançanares trabalhou, junto com os cofundadores, no desenvolvimento da operação, especialmente junto aos órgãos reguladores brasileiros.

"O mercado financeiro é um setor com forte regulação e requer extrema solidez das empresas que decidem atuar no setor. Não é viável criar uma startup de “garagem” e acreditar que vai conseguir prover serviços financeiros inovadores e de qualidade, é preciso ter resiliência de processos, equipe e infraestrutura e isso requer investimentos e muito estudo”, diz Mançanares.

Agora, a Investo se prepara para lançar o seu primeiro ETF na Bolsa brasileira nas próximas semanas, com a perspectiva de fechar o ano de 2021 com pelo 12 Exchange Traded Funds. Atualmente, há 40 desses fundos na Bolsa brasileira, que movimentaram, apenas entre janeiro e maio deste ano, R$ 153 bilhões. Em comparação, nos Estados Unidos já são mais de 2.200 ETFs, cujo patrimônio foi estimado em US$ 5,4 trilhões no ano passado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]