Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
João Costa e Adhemar Milani, fundadores da Kovi
João Costa e Adhemar Milani, fundadores da Kovi| Foto: Kovi/Divulgação

A Kovi, startup especializada em aluguel de carros para motoristas de aplicativo, anunciou nesta quarta-feira (18) a captação de R$ 500 milhões em rodada série B liderada pelo Valor Capital Group e Prosus Ventures, com participação dos fundos Global Founders Capital, Globo Ventures, Maya Capital, Monashees, Norte, ONEVC, Pipo, Quona e Ultra Venture Capital.

Fundada em 2019 por Adhemar Milani e João Costa, a Kovi chegou para suprir uma demanda de motoristas autônomos que tinham dificuldade em conseguir financiamento para alugar veículos e começar a trabalhar por aplicativos (como Uber e 99). A plataforma facilita a locação ao oferecer opções de pagamento via cartão de crédito – como outras locadores do mercado – mas também via boleto ou por transação online, auxiliando o aluguel por motoristas que não têm cartão ou não podem utilizar seus limites de crédito.

A startup oferece duas modalidades de aluguel de carro com pagamento por quilometragem rodada: o “Kovi do Seu Jeito”, com permanência mínima de 1 mês; e o “Kovi Max”, com duração mínima de 1 ano, mas com direito de pegar um carro zero a cada renovação de contrato. As duas modalidades têm pagamento semanal seguindo o cálculo: R$ 299 até 100km; R$ 379 entre 101km e 500km; R$ 419 entre 501km e 1200km; e R$ 469 para quilometragem ilimitada.

A Kovi atende principalmente motoristas de aplicativo, tanto os de tempo integral quanto aqueles que utilizam apps como complemento de renda, mas também atrai clientes que se interessam pelo modelo de carro por assinatura.

Hoje, a Kovi possui um base de 10 mil assinantes no Brasil e no México, e a proposta é utilizar parte dos recursos captados nesta nova rodada para expandir a atuação da startup em outros países da América Latina, como Argentina, Chile e Colômbia. Alem disso, a companhia tem interesse em chegar a outros países fora do continente americano, como Turquia e África do Sul, que possuem um mercado emergente nesse segmento.

A startup destinará também parte do investimento em tecnologia, com maior digitalização de processos e aplicação de Internet das Coisas (IoT) em sua operação, e no aumento do quadro de funcionários. A companhia espera passar de 700 para 900 colaboradores até o final do ano, enquanto a frota de veículos deve ir de 12 mil para 20 mil automóveis.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]