Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Diego Carmona e Fábio Verschoor, fundadores da Leadlovers, que foi comprada em fevereiro pelo Grupo Nuvini.
Diego Carmona e Fábio Verschoor, fundadores da Leadlovers, que foi comprada em fevereiro pelo Grupo Nuvini.| Foto: Divulgação

O grupo Nuvini anunciou, na última semana, a aquisição da startup curitibana de automação de marketing digital Leadlovers. Fundada em 2015 por Diego Carmona e Fábio Verschoor, a Leadlovers oferece serviços que facilitam o relacionamento virtual entre vendedores online e seus potenciais clientes com o objetivo de aumentar suas vendas.

“Com a Nuvini, buscaremos focar na melhoria de alguns pontos que nos permitirão expandir nosso negócio de forma mais estratégica. Além disso, a parceria com outras empresas do grupo e a troca de experiências vai nos proporcionar sinergia para esse crescimento”, ressalta Diego Carmona, cofundador e CVO da Leadlovers.

A startup atingiu o marco de 13 mil clientes em 50 países com crescimento do tipo bootstrap – sem investimentos externos. Através da sua plataforma, a Leadlovers dispara mais de meio bilhão de e-mails personalizados por mês, gerando mais de 30 milhões de potenciais clientes (conhecidos como leads).

15 aquisições em quatro meses

Criada pelo empreendedor Pierre Schurmann, o grupo Nuvini reúne empresas de plataformas de software como serviço (conhecidas como SaaS, do inglês Software as a Service), que oferecem tecnologias disponíveis na nuvem e acessadas através do navegador web. Dessa maneira, o cliente não precisa fazer o download de um programa para acessar o serviço.

Pierre Schurmann, fundador e CEO do grupo Nuvini, que deve adquirir 15 startups até abril de 2021.
Pierre Schurmann, fundador e CEO do grupo Nuvini, que deve adquirir 15 startups até abril de 2021. | Divulgação/Nuvini

A Leadlovers é a primeira de 15 aquisições que devem ser realizadas até abril pela Nuvini. As fusões integram uma estratégia do grupo para aumentar seu faturamento para R$ 296 milhões até o fim do ano - em 2019, o número foi de R$ 20 milhões. Além disso, a meta do grupo para 2025 é alcançar os R$ 4 bilhões e 100 aquisições no período.

O foco da empresa para as aquisições é voltado a três setores: marketing e vendas, produtividade, e finanças e controle. Além disso, o grupo busca empresas com cinco anos de operação, e faturamento entre R$ 20 e R$ 50 milhões.

O modelo de aquisição permite que os fundadores das empresas continuem tendo participação em seus negócios, além de se tornarem acionistas do grupo.

Para Schurmann, o modelo incentiva os empreendedores a continuarem trabalhando para o crescimento das startups. "Ao terem participação no grupo, quando uma startup alcança boa performance, todos os demais ganham. De um lado, trazemos liquidez aos investidores-anjo que ajudaram a levantar os negócios em seus primeiros dias e, de outro, continuamos incentivando que os empreendedores fortaleçam suas startups, ganhem maior tração e sigam crescendo”, esclarece o CEO.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]