Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Yuri Melo, Guilherme Barbosa, Juninho Conceição e Marlon Oliveira
Yuri Melo, Guilherme Barbosa, Juninho Conceição e Marlon Oliveira| Foto: Divulgação

Utilizar a experiência de diferentes profissionais para fortalecer a construção de um projeto a também faz parte de métodos ágeis que impactam a rotina e o desenvolvimento de uma empresa. Esse foi um dos temas discutidos pelo CTO da Wiser Educação, Marlon Oliveira, durante a sua participação no podcast Papo Raiz.

Com mais de 25 anos de experiência na área de tecnologia e com passagens pelos segmentos de educação, saúde, instituições financeiras, empresas nacionais e multinacionais, Marlon Oliveira encontrou, em 2016, um novo rumo para a vida profissional: fazer parte da Wiser Educação, uma instituição que tem a inovação como DNA quando o assunto é mostrar para as pessoas que há novas formas e diferentes caminhos de aprender.

Para manter as práticas de métodos ágeis no processo de gestão diante das mudanças tecnológicas inseridas no mundo dos negócios, Marlon Oliveira contou que a Wiser Educação tem uma característica muito importante em sua essência, que é a cultura pela qual essa empresa foi desenvolvida.

“A Wiser vem de uma construção de pessoas que participaram muito do começo da empresa, e há uma relação que vai muito além de algo profissional, é uma relação de amizade, confiança, fidelidade, de construção de um projeto e é isso que permeia a nossa cultura”, afirmou Oliveira.

Num contexto atual, no qual cada vez mais as organizações são competitivas, Marlon Oliveira explicou que a franquia de Educação e Idiomas procura frequentemente fortalecer a construção de novos projetos, de uma cultura em conjunto em que as pessoas têm autonomia para criar junto um produto ou serviço melhor, através da colaboração e de um espaço adequado para que os resultados sejam os melhores, especialmente, porque os clientes estão mais exigentes com relação à qualidade dos produtos disponibilizados no mercado.

“Na Wiser todos têm uma visão de construir um projeto, de construir algo junto e de mostrar o quanto é importante colaborar e o quanto a participação de cada um é necessária para que isso ande no mesmo sentido. Somos uma empresa onde as pessoas sabem muito das fragilidades e o espaço que têm de oportunidades e, então, são construtoras desse novo caminho”. (Marlon Oliveira, CTO da Wiser Educação)

Para o CTO, esses métodos ágeis, leves e orientados para um bom resultado, bem como a oferta de um produto agradável e de fácil assimilação são os principais diferenciais da Wiser Educação em relação às outras empresas do mesmo ramo e que fez com que a instituição se destacasse no mercado como uma edtech de educação profissional, que vai muito além do ensino presencial de idiomas.

O que são métodos ágeis?

Tendo como guia de suas ações os métodos ágeis, a Wiser Educação conseguiu acelerar a entrega de seus produtos e serviços, sem perder a qualidade de mão-de-obra, melhorando os resultados e os níveis de produtividade da empresa. “Mais do que o processo, o importante é a mentalidade e os princípios. E isso é um dos princípios de agilidade, por exemplo, mais do que a documentação é preciso de um software rodando. Eu vou querer documentar tudo, mas se aquilo não roda, qual o valor?”, ressaltou Marlon Oliveira.

Segundo o CTO da Wiser Educação, essa filosofia trazida pelos métodos ágeis, que promove um trabalho colaborativo com foco na entrega de valor e no cliente, foi também o que ajudou a empresa a alinhar o desenvolvimento de seus produtos e serviços tornando-se uma alternativa vantajosa para a empresa com o passar dos anos.

“Esse investimento constante de aprimoramento, de ver onde a gente tem que melhorar, onde temos oportunidades e onde se pode aplicar capital e mão-de-obra é algo que precisa estar em nosso dia-a-dia”, afirmou Marlon Oliveira.

Qual o impacto de métodos ágeis na sua organização?

Para que um empreendimento tenha uma gestão de alta performance, com equipes engajadas e, assim, seja reconhecido no ramo em que atua, é preciso que esteja aberto às mudanças no mundo dos negócios, às adversidades que podem surgir pelo caminho e aos modelos de trabalho propostos pelos métodos ágeis.

E foi neste sentido que, de acordo com Marlon Oliveira, a Wiser Educação conseguiu passar pela pandemia da COVID-19 de uma forma dinâmica e bem-sucedida. O CTO relembrou do momento que todos foram pegos de surpresa pelo novo vírus e, então, tiveram que se adequar à nova realidade, mudando o trabalho presencial para o modelo remoto (home office).

“A gente começou a estabelecer canais de comunicação, e tínhamos uma série de processos e equipes para que o que fazíamos presencialmente pudesse ser minimamente reproduzido remotamente. E o interessante disso, é que passado esse primeiro período de mudanças, pudemos identificar uma produtividade gigantesca do time”, contou Oliveira.

Marlon ainda mencionou que essa aplicação de métodos ágeis fez com que a Wiser Educação, através da Wise Up, enxergasse na pandemia a oportunidade de investir em aulas online e foi então que começaram a vender o curso de inglês em formato totalmente digital para todos os alunos. Ainda nesse período, a empresa apostou na plataforma “MeuSucesso.com”, um projeto que já fazia parte do grupo, e que conta com aulas voltadas para empreendedores.

Quais são as características de uma empresa ágil?

Ainda durante o podcast, Marlon Oliveira aproveitou para falar sobre os aspectos que tornam uma empresa não só eficiente, mas também competitiva diante das transformações no mundo dos negócios. Para ele, a equipe empresarial entende qual é o objetivo em comum também faz parte dos métodos ágeis e, neste sentido, as pessoas são mais importantes que os sistemas em que tudo é produzido.

“A pessoa precisa entender o que é um valor, o que ela está entregando, onde está inserida e qual a parte dela no projeto. E isso é mais importante do que o processo que é extremamente rígido e documentado”, ressaltou o CTO.

Oliveira ainda destacou que o maior desafio de uma empresa ágil, considerando a sua cultura organizacional, é saber quem colocar em determinada função, e para isso é preciso recorrer à chamada formação de liderança que, de acordo com ele, vai ajudar a gestão empresarial a dar mais responsabilidades e espaço para os profissionais conforme o desempenho desses. “A gente é muito orientado ao resultado neste sentido, então, se a pessoa mostrar que tem competência e que entende o valor do que está entregando, pode-se ir dando mais espaço para ela”, disse.

Como implementar COBIT em uma empresa?

Pensando nessa cultura organizacional que caracteriza um negócio, em um mundo tão tecnológico, ter uma gestão de TI bem articulada é fundamental para gerar maior eficiência empresarial e, assim, ter resultados favoráveis e alinhados às necessidades do cliente. É neste sentido que o CTO da Wiser Educação reforça que no caso da implementação do COBIT - que segundo ele, é uma espécie de framework de Governança de TI - é preciso ter uma atenção a mais, pois se trata de um importante conjunto de métodos ágeis que geram valor e melhoram os processos dentro de uma empresa.

“O COBIT, para mim, é muito bom, mas, ele exige um esforço considerável para ser aplicado no dia-a-dia, porque ele vem com uma série de normas, documentos ou práticas que vão fazer com que a qualidade seja na melhor prática, mas também isso tira um pouco da agilidade”, afirmou Oliveira.

Qual é a relação entre o COBIT e a governança de TI?

Marlon esclareceu que o COBIT surgiu de um contexto de tecnologia, com auditoria e foi se solidificando e documentando o que seriam as melhores práticas e ações que davam certo dentro de uma empresa. Segundo o CTO, esse instrumento de suporte propõe uma série de procedimentos para os gestores que buscam garantir uma boa qualidade ao sistema interno de Governança de TI.

Ele ainda aproveitou para dar uma dica sobre o uso ou não desta metodologia. “Para empresas pequenas, eu não recomendaria começar com o COBIT, seria mais interessante ir para um processo de conhecer a agilidade, os métodos ágeis e outras ferramentas e processos mais simples que trazem valor rápido para um negócio que quer sobreviver e conquistar uma margem melhor no mercado”, aconselhou Marlon Oliveira.

Como o setor de tecnologia pode se tornar ainda mais eficaz?

Para Marlon Oliveira, a partir dos métodos ágeis as áreas de tecnologia de uma empresa vão conseguir ter uma visão mais clara de como entregar mais valor ou ter foco nos processos que agregam resultados, ao invés de perder tempo e energia com detalhes que não vão fazer a empresa ter uma melhor gestão.

“O mundo está sempre se transformando e as oportunidades estão para aqueles que querem cumprir desafios e aproveitar isso, e eu acredito bastante que as empresas nesse sentido também têm esse momento de se reinventar e ver de forma diferente as coisas e a tecnologia está entre os impulsionadores disso”. (Marlon Oliveira, CTO da Wiser Educação)

*Artigo produzido pelo Papo Raiz – uma conversa descontraída e divertida sobre empreendedorismo e assuntos em alta na sociedade.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]