i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
16ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros da PwC

Para CEOs brasileiros, maiores preocupações em 2020 são impostos e incerteza na economia

  • 03/03/2020 17:31
Para CEOs brasileiros, maiores preocupações em 2020 são impostos e incerteza na economia
| Foto: Unsplash

Pouco otimismo, incertezas na economia, peso dos impostos, excesso de regulamentação. Essas foram as principais preocupações relatadas por CEOs brasileiros para o ano de 2020. O dado faz parte das descobertas da 16ª Pesquisa de Líderes Empresariais Brasileiros, um recorte da 23ª Pesquisa Anual Global de CEOs realizada pela PwC.

Para o estudo, foram ouvidos 1.581 executivos de 83 países — incluindo o Brasil, com 64 CEOs entrevistados — entre setembro e outubro de 2019.

Entre as ameaças listadas pelos executivos, estão, em primeiro lugar, estão o crescimento da economia e o peso dos impostos, com 50% cada categoria. Na sequência, eles citam ainda o cenário tributário incerto (48%), o excesso de regulamentação (47%) e a inadequação de infraestrutura básica (47%).

Mesmo com as inseguranças, o cenário previsto para o país é de otimismo: 78% dos líderes brasileiros dizem estar confiantes quanto ao crescimento de suas receitas — 22% muito confiantes e 56% um pouco confiantes. O resultado não acompanha o cenário mundial, que é de recorde de pessimismo: apenas 46% dos CEOs a nível global acreditam na melhora.

Última edição da pesquisa no Brasil mostra cenário otimista para 2020.
Última edição da pesquisa no Brasil mostra cenário otimista para 2020.| Divulgação/PwC

Qualificar pessoas é imperativo

Um dos dados mais significativos da pesquisa é com relação às upskills — a capacitação da força de trabalho fornecida pela própria empresa.

Para Carlos Peres, sócio da PwC Brasil e líder da região Sul, a automação e a digitalização dos serviços cada vez mais presente no cotidiano torna a qualificação dos profissionais imperativa. "O upskilling não é mais uma opção: é uma prioridade. E esse é um desafio no Brasil, mais do que os outros países, porque o modelo educacional não prepara as pessoas para as novas necessidades do mercado, o que dificulta diretamente na contratação".

| Divulgação/PwC

Nesta categoria, a pesquisa separou as empresas em dois níveis: as que estão no início do processo de upskilling e as que já estão mais avançadas.

Por um lado, a maior dificuldade enfrentada pelas empresas avançadas no processo é a retenção dos funcionários já qualificados, com 18%. Para as que ainda estão começando, os maiores impasses são a motivação dos funcionários para a qualificação e a falta de recursos para iniciar os programas de upskilling, ambas com índice de 16%.

"Quanto mais demora a empresa pra entrar nesse processo mais ela demora pra colher frutos do operacional. É um processo em que é necessário subir os degraus aos poucos. Empresas que começaram tempos atrás já tão colhendo frutos. As que demoraram mais estão sofrendo mais, porque começam a perder competitividade", explica o executivo.

Entre as prioridades dos CEOs com relação às tecnologias, estão a privacidade e proteção de dados, inteligência artificial e rede 5G, as três com 16%, seguidas por segurança cibernética (14%), robótica (11%), Internet das Coisas (9%) e biotecnologia (9%).

Para mais detalhes, acesse a pesquisa global e os destaques do recorte brasileiro.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • M

    Marcos Ctba

    ± 0 minutos

    Para os CEOs e todas as torcidas do Brasil. Precisa mais uma Pesquisas para angariar granas dos ignorantes para chegas a essa conclusão. Tem coisa que essa gente precisa aprender que conclusão todos chegam precisam é mais trabalhar para agregar renda ,gerar riqueza e bem estar a sociedade não só a carteiras dos bacanas

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso