Inspirado no modelo chinês de pagamentos, a Banco Senff lançou em parceria com a Payface o primeiro pagamento por reconhecimento facial do país.
Inspirado no modelo chinês de pagamentos, a Banco Senff lançou em parceria com a Payface o primeiro pagamento por reconhecimento facial do país. A tecnologia reconhece rostos mesmo de máscara.| Foto: Anna Shvets/Pexels.

Idealizado no fim de 2019, o projeto de pagamento por reconhecimento facial do Banco Senff acabou surfando na onda das inovações tecnológicas do setor – demandadas pela pandemia do novo coronavírus – e se mostrou como solução a duas grandes dores do mercado varejista: agilidade e segurança.

A inovação, segundo o diretor de rede de Ccpturas do Banco, Marco Senff Peixoto, está no DNA da empresa que, com 129 anos de história – fundada por seu trisavô – começou como supermercado, sendo a primeira a implementar o self-service e, mais tarde, como banco, foi a primeira a exigir senha em pagamentos pelo cartão.

Agora, inspirada no modelo chinês de pagamentos, a empresa lançou em parceria com a Payface o primeiro pagamento por reconhecimento facial do país, já disponível em dois restaurantes da capital paranaense e em fase de implementação em uma grande rede supermercadista.

“A grande vantagem para as duas pontas do negócio é a otimização do tempo. Estabelecimentos que têm problemas com filas, como restaurantes por quilo, supermercados e farmácias, poderão se beneficiar muito porque o processo de pagamento chega a ser nove vezes mais rápido do que o pagamento tradicional por cartão de débito e crédito”, explica Marco.

Outra vantagem, para ele, e que se tornou uma demanda muito atual, é a segurança. Tanto o reconhecimento facial inicial do cliente, para reconhecimento de dados no sistema, quando pagamentos posteriores usando esse método, acontecem sem nenhum toque em telas ou objetos.

“Hoje, poder efetuar um pagamento sem encostar no teclado é fantástico e nossa tecnologia é tão de ponta que o reconhecimento facial acontece mesmo em pessoas que estão usando a máscara”, completa o diretor.

Ainda no quesito segurança, a tecnologia é “à prova de fraudes”, como coloca o CEO da Payface, Eládio Isoppo. “São dois pontos muito importantes: a segurança de dados, que ficam armazenados sem preocupações de vazamentos; e a checagem de vivacidade, que verifica se a pessoa é ela mesma, e não uma foto, vídeo ou máscara. Nesse segundo aspecto, temos certificação de nível ISO2, a melhor do mundo”, diz ele.

Como funciona

Lançamento oficial da tecnologia será dia 6 de abril. Foto: Divulgação.
Lançamento oficial da tecnologia será dia 6 de abril. Foto: Divulgação.

Existem três maneiras de efetuar o cadastro e incorporar o método de pagamento por reconhecimento facial no estabelecimento: o próprio aplicativo do banco Senff; o aplicativo do estabelecimento varejista; ou o aplicativo da Payface.

Para qualquer uma das opções, basta que o cliente usuário do cartão Senff cadastre imagens de seu rosto e dados pessoais e assinale o termo de consentimento da empresa. O próprio sistema atualiza as imagens, na medida em que novas transações são feitas. Os custos para o varejista, segundo Marco, são os mesmos que ele teria para usar uma maquininha de pagamento.

Expectativas

O Banco Senff, que já conta com cerca de três milhões de cartões em circulação, emitidos por mais de cinco mil varejistas, espera expandir a nova tecnologia a nível nacional. O lançamento oficial para os parceiros de negócios será no dia 6 de abril, na modalidade online.

Além disso, algumas atualizações tecnológicas são esperadas, tanto pela Senff quanto pela Payface, para o segundo semestre. Dentre elas, o desenvolvimento de contas vinculadas, isto é, o cadastro facial de mais de uma pessoa para o mesmo cartão – importante para o uso familiar, como explica Eládio – e outra, a possibilidade de utilizar o reconhecimento fácil para compras feitas online.

Conteúdo editado por:Camila Machado
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]