Montante é dividido em um total de 155 aportes; volume já representa 54% do total investido no ano de 2020.
Montante é dividido em um total de 155 aportes; volume já representa 54% do total investido no ano de 2020.| Foto: Pexels.

O ano de 2021 pode ser de recorde para o universo das startups. De acordo com o Inside Venture Capital, relatório mensal realizado pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência de mercado da plataforma de inovação aberta Distrito, o primeiro trimestre deste ano já reúne um total de US$ 1,9 bilhão em investimentos a jovens empresas brasileiras de base tecnológica. O volume divide-se em um total de 155 aportes e representa 54% dos US$ 3,5 bilhões investidos ao longo de 2020.

"A maturação do ecossistema, além de gerar um ambiente fértil para o surgimento de novos negócios, permite que mais startups cheguem em estágios mais avançados, necessitando de rodadas maiores. Este, sem dúvida, é um dos principais fatores deste volume expressivo", comenta Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer.

"Apenas quatro rodadas recebidas por unicórnios brasileiros concentraram cerca de US$ 1,2 bilhão,  62% do volume investido neste ano", complementa Ávila, referindo-se aos aportes recebidos por Nubank, Loft, MadeiraMadeira e Loggi.

Somente em março de 2021, foram aportados US$ 962 milhões, distribuídos em 61 rodadas de investimentos. Entre as de destaques ao longo do mês, a maior da história destinada a uma startup brasileira da história: uma rodada de US$ 425 milhões na Loft, liderada pelo fundo norte-americano D1 Capital. Também chamaram atenção o aporte de US$ 125 milhões na startup mineira Hotmart, que anunciou ser avaliada em mais de US$ 1 bilhão e, ainda, uma captação de US$ 35 milhões da fintech Vórtx junto ao FTV Capital, fundo de Private Equity dos Estados Unidos.

Entre as rodadas em estágios iniciais, destaque para o aporte de US$ 1,1 milhão recebido pela  Condoconta, fintech especializada em condomínios. A rodada Seed foi liderada pela Redpoint eventures e contou com a participação da Darwin Startups. A retailtech Gonddo, que desenvolve uma plataforma que visa empoderar o varejo independente, recebeu um aporte da Y Combinator, no valor de US$ 125 mil -- no mês anterior, a startup já havia recebido outros US$ 420 mil, em uma rodada Seed liderada pela Iporanga Ventures.

Fusões e aquisições

O levantamento realizado pelo Distrito Dataminer também constatou que o primeiro trimestre de 2021 já concentra 56 transações de fusões e aquisições realizadas no ecossistema de inovação brasileiro. O número é ligeiramente inferior ao total realizado em 2019, ano que reuniu 64 movimentações desta natureza. A maior parte das transações se concentrou no setor de RetailTech, representando 16% do total. Em segundo e terceiro lugares ficaram FinTech, com 14% do total, e T.I., com 12%.

Em março, foram realizadas 30 fusões e aquisições. Entre os destaques, a mega aquisição da Resultados Digitais pela Totvs, que desembolsou cerca de US$ 320 milhões pela martech catarinense. Entre as fusões, a da Geru e Rebel, que juntas criaram a OpenCo, uma das maiores fintechs de crédito do país, que atenderá clientes de diferentes perfis, inclusive.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]