Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Fundadores da Tembici, Tomás Martins e Maurício Villar
Fundadores da Tembici, Tomás Martins e Maurício Villar| Foto: Tembici/Divulgação

A startup de mobilidade urbana Tembici, especializada no serviço de bicicletas compartilhadas, anunciou nesta quinta-feira (30) o recebimento de um aporte de US$ 80 milhões (cerca de R$ 420 milhões na cotação atual) em rodada série C liderada pela Crescera Capital e participação da Endeavor Catalyst, Igah Ventures, IFC, Pipo Capital, Redpoint eventures e Valor Capital Group.

De acordo com a companhia, o capital será investido na ampliação da oferta de bicicletas (especialmente elétricas), na expansão das operações em outras cidades brasileiras e outros países, além de novas contratações nos times de tecnologia, produto e dados – com uma estimativa de passar de 100 para 150 funcionários em curto prazo.

“A captação é para continuarmos crescendo e vamos ampliar os investimentos em tecnologia e dados para consolidar as bicicletas elétricas e o novo modelo de negócio focado em cicloentregas”, conta Tomás Martins, presidente e cofundador da Tembici.

Bicicletas compartilhadas e a pandemia

Diferente de outras concorrentes do setor de mobilidade urbana, como a Grow e a americana Lime (que deixou o Brasil no começo de 2020), a Tembici conseguiu atravessar o pior momento da pandemia do coronavírus apostando em um modelo de negócio com parcerias (como as bicicletas “laranjinhas" do Itaú) e planos de assinaturas especializados.

Nesse sentido, podemos destacar o programa iFood Pedal, exclusivo para entregadores do aplicativo na cidade de São Paulo, que desde outubro do ano passado podem alugar bikes elétricas por um valor semanal de R$ 9,90. A companhia disponibiliza também opções de assinatura anuais, mensais, por final de semana ou por viagem, o que tem atraído usuários na busca por alternativas de locomoção mais baratas e sustentáveis.

Atualmente, a Tembici está presente em dez cidades, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Salvador. No próximo dia 13 de outubro, a startup chega em Brasília. Na América Latina, a companhia atua nas cidades de Buenos Aires (Argentina) e Santiago (Chile). Não foram revelados quais outros mercados latino-americanos estão na mira de expansão da Tembici.

Em relação à frota, a startup possui 16 mil bicicletas, sendo 1 mil elétricas. Com o novo aporte, a proposta é somar, no próximo ano, mais 10 mil bikes – 50% delas elétricas. Segundo a companhia, as bicicletas elétricas têm maior eficiência e uma utilização 30% maior do que as convencionais. “O futuro é elétrico”, conclui Maurício Villar, cofundador e diretor de operações da Tembici.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]