Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Igla Generoso, CEO da Digital Innovation One.
Igla Generoso, CEO da Digital Innovation One.| Foto: Divulgação

A rede social de negócios LinkedIn recentemente apontou quais seriam as profissões em alta para 2020. Das 15 posições apontadas, 13 são cargos relacionados a tecnologia. Mas será que o mercado conta com o número de profissionais suficientes para suprir esta demanda? Segundo Igla Generoso, CEO da Digital Inovation One, não.

Da grande procura do mercado por desenvolvedores de software nasceu a startup, que forma e coloca no mercado de trabalho profissionais da área de tecnologia da informação. Fundada em janeiro de 2019 por Igla, Gustavo Pereira e Pablo Zaniolo, a startup open education — na qual o aluno seleciona os conteúdos que quer aprender — já capacitou 50 mil desenvolvedores de graça.

+ Siga o GazzConecta no Instagram!

80% dos professores que produzem os conteúdos são voluntários e as aulas são oferecidas gratuitamente pelo site. Assim, a startup de Araraquara, no interior de São Paulo, promete capacitar cinco milhões de desenvolvedores de software em cinco anos. A ampliação do número de alunos se deve, em sua maioria, por conta de parcerias com prefeituras como a de Curitiba, que vai oferecer cursos pela plataforma da Digital para 150 mil jovens de 16 a 22 anos.

O objetivo da Digital, segundo o CEO, é democratizar o conhecimento e fornecer uma mão de obra que está em falta no mercado.  “Nosso propósito é revolucionar e democratizar a educação levando o conhecimento a lugares onde a educação não chega”, disse Igla.

A plataforma oferece cursos livres, projetos práticos e desafios nos quais os alunos que atingem maior pontuação são indicados para as vagas de emprego nas empresas parceiras, como GFT, Impulso, Art IT e ZarpSystem. Ao todo, a startup conta com 20 parcerias de empresas voltadas para o desenvolvimento de software e TI.

A plataforma usa ciência de dados para que os melhores alunos tenham um job meet (quando desenvolvedor é encaminhado para a vaga de emprego). Semanalmente, são indicados cerca de 50 desenvolvedores — destes, 10 são contratados.

Hoje a plataforma tem 65 mil alunos ativos. O objetivo da startup é que, no final de 2020, a comunidade reúna 200 mil alunos.

Internacionalização e fomento da economia brasileira

Em dezembro de 2019, a startup recebeu um aporte de R$ 2,5 milhões. O financiamento foi dividido entre um pull de investidores anjo (união de diferentes investidores que financiam uma startup de segmento específico), além do fundo The Venture Capital. Com o investimento, a startup vai internacionalizar sua atuação para países onde a língua seja o português, como Moçambique e Portugal.

Com a expansão da Digital e novas parcerias com empresas internacionais, o objetivo é que empresas de TI de outros países contratem, para trabalhos remotos, profissionais brasileiros.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]