Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aparelho Esterilix garante filtragem de 99,99% do ar, eliminando partículas contaminadas pelo novo coronavírus.
Aparelho Esterilix garante filtragem de 99,99% do ar, eliminando partículas contaminadas pelo novo coronavírus.| Foto: Divulgação/MondoBello

Desenvolvido pela empresa paranaense MondoBello e com qualidade verificada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo, o equipamento de filtração de ar Esterilix - inicialmente pensado apenas para a esterilização de aparelhos hospitalares – se provou eficaz no combate à transmissão do novo coronavírus.

Por meio de três etapas de filtragem - a primeira realizada por filtros HEPA-13, seguida pela recepção de radiação ultravioleta e, depois, exposição a ozônio – o Esterilix garante, segundo relatório da Unicamp, inativação de 99,99% das impurezas do ambiente, incluindo moléculas contaminadas pelo novo coronavírus e demais vírus e bactérias.

A redução de riscos biológicos em ambientes fechados já era um objetivo da empresa, como explica o diretor comercial da MondoBello, Rafael Mandryk, e foi ainda mais evidenciado com o início da pandemia do novo coronavírus, no ano passado.

“Principalmente na área da saúde, entre médicos e dentistas, o Esterilix está sendo bem requisitado, pois se tratam de ambientes com grande fluxo de pessoas e que exigem uma aproximação grande entre profissional e paciente”, diz.

Versatilidade

Mesmo assim, outros ambientes são apropriados para a instalação da tecnologia que, comercializada em três tamanhos diferentes, acomoda necessidades diversas. O modelo torre, pensado para shoppings e outros espaços com grande circulação de pessoas, realiza a filtragem do ar em ambientes com mais de 100m²; o modelo midi, mais comercial, foi desenhado para salas de aula, consultórios médicos e odontológicos; e, por fim, o modelo mini foi a alternativa pensada para ambientes muito confinados, como carros e elevadores.

Desde o início da comercialização do equipamento, em dezembro, aproximadamente 500 máquinas do tamanho midi foram vendidas a nível nacional e a perspectiva da empresa é abrir redes de assistência do aparelho em locais estratégicos para atender a demanda no Brasil todo.

“Queremos facilitar a compra e manutenção dos aparelhos pois entendemos a relevância dessa tecnologia no momento que vivemos hoje. Além das redes de assistência, temos um plano de começar a trabalhar com uma linha para locação, o que significa um custo reduzido para as empresas e possibilita o uso pontual em situações específicas”, explica Mandryk.

Custo-benefício

Equipamento Esterilix em fase de testes na Unicamp, onde foi comprovada sua eficácia. Fonte: Divulgação/MondoBello
Equipamento Esterilix em fase de testes na Unicamp, onde foi comprovada sua eficácia. Fonte: Divulgação/MondoBello

Ao descobrir sobre a eficácia da filtragem do Esterilix, a Ilapeo, faculdade especializada em odontologia de Curitiba, investiu em equipamentos para as salas de aula e consultórios. É o que conta Marcos Boaventura, pesquisador da Neodente – empresa parceira da faculdade – e que acompanhou o investimento de perto.

“A palavra principal é tranquilidade. Tranquilidade dos gestores, que podem oferecer um ambiente mais seguros para os demais, e também dos alunos e clientes, que se sentem mais confiantes em retornar suas atividades e consultas após a implementação dessa tecnologia”, afirma.

Além da segurança com relação ao novo coronavírus, sem dúvida, o principal benefício do Esterilix, ainda há outros. Rafael Mandryk aponta também a redução de sintomas de pessoas asmáticas ou com rinite, enquanto estão nos ambientes filtrados; redução de odores; e possibilidade de não usar a máscara em algumas situações.

“A manutenção do Esterilix é muito pequena também”, explica o diretor comercial. “A única parte que exige manutenção são os filtros HEPA, após três mil horas de uso. Ou seja, é possível usar o aparelho por muito tempo sem se preocupar”, completa.

Finalmente, o custo energético extra por aparelho representa uma adição pequena aos custos das empresas, na faixa de R$ 9 a R$ 12 mensais, isso se o aparelho permanecer ligado 24 horas, o que, de acordo com Mandryk, é irrisório considerando os demais benefícios.

Atualmente, o valor do modelo midi é de R$ 4 mil e o do mini é cerca de R$ 1.500. As torres, que são feitas sob medida, variam de acordo com o tamanho requisitado.

Conteúdo editado por:Camila Machado
1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]