Escritório da Totvs em São Paulo.
Escritório da Totvs em São Paulo.| Foto: Divulgação.

A Totvs, desenvolvedora brasileira de softwares de gestão, fez uma contraproposta para aquisição da Linx, desenvolvedora especializada em softwares para o varejo. Com o valor de R$ 6,1 bilhões a Totvs supera em R$ 550 milhões o valor ofertado no último dia 12, pela fintech Stone. A proposta, que é válida por um mês, oferece uma ação Totvs e mais R$ 6,20 por cada ação da Linx. Desta forma, a Linx passaria a ter 24% de participação na companhia concorrente.

Na quarta-feira, a Stone havia anunciado um acordo de aquisição dividido em dinheiro (90%) e ações (10%), incluindo a emissão de US$ 1 bilhão em papéis para financiar a compra. O acordo ainda seria submetido a aprovação dos acionistas das duas companhias, antes da assinatura final do contrato, mas uma recisão do contrato resultaria em uma multa de R$ 605 milhões.

Os termos da proposta da fintech, no entanto, parecem ter desagradado parte do acionistas da Linx. De acordo com a agência internacional de notícia Reuters, o motivo seria uma das cláusulas que previa o pagamento de R$ 300 milhões para o presidente da Linx e membros do conselho administrativo, como forma de reter profissionais e também pactuar a não concorrência.

Outro motivo para a contraproposta seria um desentendimento quanto ao início das negociações com as duas empresas. Em carta enviada na última sexta-feira (14) ao conselho administrativo da Linx, representantes da Totvs afirmaram que estiveram em reunião com executivos da Linx para negociar uma possível aquisição, um dia antes do anúncio da Stone. Apesar de terem sido "surpreendidos" pela notícia envolvendo a fintech, os gestores da Totvs acharam por bem seguir com a proposta uma vez que, em seu julgamento, esta oferta atenderia melhor aos interesses dos acionistas, "sem conflitos de interesses, benefícios particulares ou assimetria de tratamento."

Na carta, o conselho administrativo da Totvs também diz que tomará medidas cabíveis contra a multa de recisão contratual com a Stone, caso a negociação seja fechada. Para eles, a multa seria "abusiva e contrária ao interesse dos acionistas minoritários da Linx, que não se beneficiarão de pagamentos adicionais."

A carta também foi entregue com uma análise de mercado defendendo a fusão das duas companhias. A combinação de Totvs e Linx criaria uma empresa com faturamento de R$ 3,2 bilhões, a maior da América Latina na área de SaaS (software as a service), de acordo com a avaliação dos executivos da Totvs.

Procurada pela reportagem, a Stone disse que não se pronunciaria sobre as negociações até o encerramento delas. Já a administração da Linx informou por nota que analisará a nova oferta formalmente, "com a condução de conselheiros independentes."


Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]